Professores transformam paralisação em greve por tempo indeterminado

Categoria diz que só suspenderá movimento quando governo apresentar proposta de reajuste salarial
Compartilhamentos

Por SELES NAFES

O Sindicato dos Servidores em Educação do Estado do Amapá (Sinsepeap) notificou ontem (18) o governo do Estado de que irá deflagrar greve por tempo indeterminado a partir da próxima segunda-feira (24).

A decisão tinha sido tomada em assembleia extraordinária na quadra da Escola Estadual Azevedo Costa, no bairro do Laguinho, no último sábado (15).

Os professores pedem 55,61% de reposição salarial. Este ano, o governo anunciou que não tem condições que conceder reajuste para nenhuma categoria.

“Como o governador não apresentou nenhuma proposta de reposição salarial, a categoria decidiu deflagrar a greve”, explicou o diretor do Sinsepeap, Kelson Luís.

O comunicado protocolado no Palácio do Setentrião avisa que 30% da categoria continuarão trabalhando para preservar os serviços essenciais nas escolas.

Movimento na Praça da Bandeira: categoria paralisada há cerca de 1 mês. Fotos: Rodrigo Indinho/SN

A categoria está paralisada parcialmente desde o último dia 15 de maio, quando ocorreu um ato nacional. Contudo, no Amapá, os professores decidiram estender o movimento por mais 15 dias.

No dia 24 de maio, o desembargador Rommel Araújo, atendendo pedido da Procuradoria-Geral do Estado (PGE), considerou ilegal o movimento e determinou a suspensão do movimento, o que não foi acatado pelo Sinsepeap, que acabou sendo multado.

O Portal SelesNafes.Com tenta ouvir a Secretaria de Educação do Estado (Seed), mas ainda não conseguiu.

Deixe seu comentário
Compartilhamentos
Insira suas palavras de pesquisa e pressione Enter.
error: Conteúdo Protegido!!