Davi consegue R$ 534 milhões do BNDES

Recursos serão usados em 20 obras do governo do Amapá. Pedido de interferência foi feito por Waldez Góes para a liberação
Compartilhamentos

Da REDAÇÃO

Depois de seis anos de espera, o Amapá vai receber R$ 534 milhões do BNDES. A articulação foi do presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM), que confirmou a liberação ao governador Waldez Góes (PDT). Os dois se reuniram nesta segunda-feira (19), em Brasília.  

Como estava inadimplente com o banco, o governo do Amapá não vinha conseguindo a liberação dos recursos que fazem parte do Programa de Desenvolvimento Humano Integrado (PDRI). O governador pediu interferência do presidente do Senado, que fez o pedido ao presidente do BNDES, Gustavo Montezano.

Com o recurso, Hospital da Criança será finalmente concluído. Foto: Cássia Lima/Arquivo/SN

“O acesso aos valores só foi viabilizado devido a atuação do senador Davi”, comentou o governador.

“Sem dúvida, a atuação do presidente do Senado foi fundamental neste processo de retomada dos aportes desses recursos”, comentou o secretário de Planejamento do Estado, Eduardo Tavares.

“Essa vitória foi fruto de muito trabalho. Tivemos diversas reuniões, Waldez e eu, com o presidente do BNDES e, assim, com o acordo repactuado entre o governo do estado e o banco, conseguimos destravar o acesso a esses recursos, no valor de R$ 534 milhões. Estamos cumprindo com a nossa obrigação de trabalhar, e muito, pelo Amapá”, ponderou o senador Davi.

Obras

Os recursos serão utilizados em obras de educação, saúde, segurança, infraestrutura e habitação do PDRI, que no total soma R$ 980 milhões.

No total são 20 obras, veja algumas:

Unidade de Nefrologia da Zona Norte de Macapá

Escolas no residencial Miracema

Escolas no residencial Macapaba

Conclusão do Hospital da Criança e do Adolescente

Conclusão do Hospital Estadual de Santana (HES)

Plano de Mobilidade Urbana do município de Oiapoque.

“Nós iremos marcar um evento para apresentar cada um dos projetos à sociedade. Vamos construir um cronograma de execução, porque a ideia é licitar todas essas obras até o fim de 2019 e já iniciá-las ano que vem. O prazo de conclusão é de três anos”, explicou Waldez Góes.

“É uma conquista enorme, que o Amapá aguardava há seis anos. Solucionar a pendência burocrática foi um trabalho de articulação política que deu certo. A liberação do empréstimo vai aquecer a economia e gerar mais de 3 mil empregos diretos. Foram meses de esforços e negociação que resultaram em vitória extraordinária para todos os amapaenses” – comemorou Davi.

Deixe seu comentário
Compartilhamentos
Insira suas palavras de pesquisa e pressione Enter.
error: Conteúdo Protegido!!