“Acolhe todo mundo”, diz servidora e ex-aluna nos 70 anos do antigo CCA

Filhos de dona Zuleide Oliveira Dias Farias, de 70 anos, estudaram na instituição e agora é a vez dos netos
Compartilhamentos

Por RODRIGO ÍNDIO

Uma das unidades de ensino mais antigas do Amapá, a Escola Estadual Gabriel de Almeida Café, conhecida carinhosamente como CCA (Colégio Comercial do Amapá), comemorou 70 anos de fundação nesta quinta-feira (12) com uma vasta programação cultural. O evento foi prestigiado por pais, estudantes, professores e comunidade, além de ex-alunos e ex-funcionários.

Atrações de violão…

… e de rap empolgaram

Legado

Razões não faltam para celebrar este marco histórico da instituição, que já formou milhares de estudantes do Ensino Fundamental ao Ensino Médio. Uma dessas ex-alunas é dona Zuleide Oliveira Dias Farias, de 70 anos, que estudou e começou a trabalhar no antigo CCA, em 1980.

Programação especial na quadra da escola. Fotos: Rodrigo Índio/SN

Zumba

Na instituição se formou em técnica em administração. Nestes 39 anos na escola, além de aluna, já foi secretária e atualmente é bibliotecária. Dona Zuleide é tão querida pela comunidade escolar que a quadra poliesportiva foi batizada com seu nome. Ela diz que muita coisa mudou desde a época em que era aluna para os dias atuais.

“Essa instituição era uma referência no Estado porque todos eram mais interessados e respeitosos, hoje mudou um pouco. Aqui tem muita história para contar, quem estudou ou trabalhou aqui sabe. É uma escola que acolhe todo mundo seja rico ou pobre, como foi na minha época. Aqui já estudaram o prefeito Clécio, os senadores Randolfe e Davi, os Padres Paulo e Aldenor, dentre outros. Aqui se formam pessoas para a vida, basta querer”, disse a simpática senhora.

Alejandro Farias, neto de dona Zuleide; orgulho da história da família

Além de Zuleide, seus 3 filhos se formaram no ensino médio na escola. Atualmente seus netos estudam na instituição. Um deles é Alejandro Farias que se orgulha de fazer parte de uma família que tem um legado na unidade de ensino.

“Fico orgulhoso de ser mais um membro da família aprendendo na escola, espero que no futuro meus filhos possam ter a mesma experiência de ter uma educação de qualidade”, esperançou-se Alejandro.

Alunos prestigiam programação de aniversário

Programação

De acordo com o diretor da escola, Rhuam Marinho, a cerimônia de celebração contou com diversas homenagens à instituição; depoimentos de professores e funcionários; shows de artistas locais, apresentações dos alunos e instituições convidadas. Ele também estudou na escola.

“Além de várias personalidades amapaenses, também tive a oportunidade de ser aluno dessa instituição do curso de contabilidade, hoje estou diretor. Atualmente na escola buscamos a valorização da vida, da educação e do aluno, para que ele tenha apoio para ser protagonista da sua história”, revelou o diretor.

Rhuam Marinho (diretor): também é ex-aluno

E quem busca ser protagonista é a aluna do 2° ano, Juliane Pinheiro, de 15 anos, que participou de uma apresentação referente aos anos 60. Recém-chegada do Pará, a jovem se diz encantada em saber que a escola enfrentou diversos desafios e segue sendo um ícone na educação do Estado.

“É uma escola de referência aqui, quando cheguei de Santarém em Macapá ouvir falar muito bem desta escola, me interessei e hoje estou aqui, aprendendo. Para mim é gratificante fazer parte dessa história porque aqui adquirimos conhecimento com ótimos professores e ganhamos novos amigos que nos apoiam para a vida”, ponderou.

Juliane Pinheiro: amigos para a vida

Fundação

A escola foi criada em 12 de setembro de 1949, pela Associação Comercial do Amapá, com intuito de suprir a demanda de técnicos em contabilidade do mercado local.

Em 19 de novembro de 1966 integrou-se à Rede Territorial de Ensino através da assinatura de um convênio firmado entre o Governo do Ex-Território e a Associação Comercial do Amapá.

Bolo de aniversário com as cores da escola

No ano de 1971, mudou a denominação para Colégio Comercial do Amapá, e em 10 de julho do mesmo ano passou a funcionar definitivamente em prédio próprio, localizado na Avenida FAB, nº 91 , bairro Central.

Em 28 de dezembro de 1982, passa a chamar-se Escola Comercial Professor Gabriel Almeida Café, conforme Portaria n.º 0630/82-SEEC, em homenagem ao seu idealizador.

dona Zuleide Oliveira Dias Farias : uma vida na escola

Em 27 de dezembro de 1993, deixou de ser CCA e adotou o nome atual. Atualmente, a instituição atende cerca de 3 mil alunos do ensino médio.

Deixe seu comentário
Compartilhamentos
Insira suas palavras de pesquisa e pressione Enter.
error: Conteúdo Protegido!!