Jovem matador de facção morre em confronto com a PM

Apesar da pouca idade, David Almeida de Sousa, o ‘Madruga’, de 17 anos, acumulava um extenso histórico policial, com sete homicídios, tráfico e dezenas de roubos.
Compartilhamentos

Por OLHO DE BOTO

Um infrator de 17 anos, envolvido em pelo menos sete atos infracionais equivalentes a homicídios e dezenas de roubos no Amapá, morreu neste domingo (22) em confronto com a Polícia Militar no município de Santana, a 17 km de Macapá.

Equipes do Batalhão de Força Tática (BFT) patrulhavam preventivamente a periferia da cidade no início da noite quando receberam a denúncia de que criminosos de uma facção exibiam armas em uma festa, realizada em um clube próximo ao cemitério da cidade, no bairro Provedor 1.

Força Tática e 4º Batalhão enfrentaram os criminosos em Santana. Fotos: Olho de Boto/SN

Os militares da Força Tática se uniram com policiais do 4° Batalhão e foram até o local. Os criminosos perceberam a chegada da polícia e correram para uma área de mata atrás do local da festa. Os militares foram atrás e começou uma intensa troca de tiros.

Um dos suspeitos foi atingido e deixado para trás pelos colegas criminosos. Ele foi socorrido e levado até o Hospital de Emergências de Santana, mas não resistiu e morreu logo depois de chegar à unidade de saúde.

Tratava-se de David Almeida de Sousa, de 17 anos, o “Madruga”, considerado um dos indivíduos mais perigosos de Santana, envolvido em dezenas de crimes. Com ele foi apreendida uma pistola calibre .40 (ponto quarenta), utilizada contra os policiais.

Comandante do BFT, tenente-coronel Aldinei: “Era um indivíduo de extrema periculosidade, membro de facção, violento, impiedoso”

Há muito tempo esse marginal assolava a população daquela região, bairro Nova União, Nova Brasília, sempre armado, intimidando os moradores. Era um indivíduo de extrema periculosidade, membro de facção, violento, impiedoso. Já tinha escapado da gente outras vezes. Mas desta vez, a Força Tática se uniu ao 4º Batalhão de Santana e a ação conjunta terminou com confronto e ele atingido”, comentou o comandante do BFT, tenente-coronel Aldinei.

Vida de crimes

Apesar da pouca idade, Madruga acumulava uma extensa ficha criminal. Membro de uma facção nacional com ramificação no Amapá, ele era temido por criminosos rivais e merecia atenção da polícia.

Arma apreendida com Madruga após o confronto

No histórico de delitos, figura como autor em sete inquéritos policiais de homicídios. Além disso, tem passagens por tráfico de drogas, roubo e furtos. Um desses roubos foi o assalto à uma revendedora de carros no Distrito do Coração, a 10 km do centro de Macapá. O crime ocorreu no início deste ano.

Na ocasião, Madruga estava acompanhado de outros membros da facção, todos fortemente armados. Eles renderam um funcionário e levaram três veículos da concessionária – avaliados em mais de R$ 150 mil.

Deixe seu comentário
Compartilhamentos
Insira suas palavras de pesquisa e pressione Enter.
error: Conteúdo Protegido!!