' />

Moradores cobram reparo em avenida prometido há 3 meses

Secretaria de Obras do Município declarou que aguardava encerramento de período de chuvas para não ter prejuízos
Compartilhamentos

Por RODRIGO ÍNDIO

Sem opção e cansados de esperar que a prefeitura de Santana dê manutenção à Avenida José Deolindo da Silva, localizada no Bairro Provedor I, os moradores limparam e aterraram a buraqueira da via com recursos próprios. Mesmo assim, a luta para que a via receba o serviço de asfaltamento ou da implantação de bloquetes continua, pois os problemas voltaram.

Segundo populares, o Provedor I tem avenidas pequenas que foram tomadas por buracos grandes, formando enormes valas que não conseguem cessar a quantidade de água acumulada das chuvas. A condição precária impossibilita o acesso à Escola Estadual José Ribamar Pestana, que fica nas proximidades.

Poeira…

 

… e lamaçal constante na região. Fotos: enviadas pelos moradores

Devido aos grandes prejuízos aos moradores, cópias de um requerimento foram enviadas às pastas municipais em 2017, porém as tratativas não foram bem sucedidas. Ainda de acordo com quem reside no local, o secretário de Obras, Juscelino Alves, via telefone, ficou de estudar alguma solução, o que não aconteceu.

Cansados de esperar, os moradores pediram apoio do Ministério Público. Após audiência de conciliação, realizada no dia 16 de maio deste ano, a PMS, através de seu representante, se comprometeu a realizar os serviços de terraplanagem em 4 dias. Porém, passados três meses, não houve o cumprimento do acordo e a população solicita uma resposta.

Moradora Marizete Magalhães; manutenção da rua é financiada pela própria vizinhança há mais de três décadas

Segundo a moradora Marizete Magalhães, a via não recebe manutenção e asfaltamento há 30 anos por parte do poder público. Ela diz que a própria população realiza ações de recuperação no local e a última foi jogar aterro na via.

“A rua era mantida por nós. Comprávamos cimento, seixo, areia e pagávamos pedreiros para fazer o trabalho. Mas, as chuvas durantes todos esses anos foram danificando cada vez mais a capa asfáltica e chegou em um ponto que não conseguimos mais fazer a manutenção”, disse.

Ela detalha ainda que o secretário de Obras já não atende os telefonemas e nem responde mensagens. A mulher confessa que o desespero já bateu.

“Já não temos para quem apelar. A situação é caótica porque perdemos a confiança na gestão. Coloquei minha casa à venda porque meus parentes não me visitam pela intrafegabilidade da rua. O que dói é que trabalhei a minha vida toda pra construir minha casa e agora quero vendê-la porque a prefeitura é inerte em executar sua função. É Lamentável”, ponderou.

Prefeitura confirmou inclusão da avenida em cronograma

O que diz a prefeitura de Santana

Por telefone o secretário de obras de Santana Juscelino Alves se posicionou sobre o caso. O gestor explicou que, no MP, se comprometeu a realizar as obras no período de 4 a 5 dias após as chuvas cessarem, o que, segundo o secretário.

“Se entrássemos com terraplanagem na via, teríamos problema com lama e perderíamos o material. Agora que já cessou, entrou no cronograma e no máximo em 15 dias estaremos entrando e fazendo o serviço”, declarou o secretário. 

Sobre o recapeamento asfáltico da via, o gestor explicou que o Município busca parceria com o governo do Estado para resolver a situação. 

Seles Nafes
Compartilhamentos
Insira suas palavras de pesquisa e pressione Enter.
error: Conteúdo Protegido!!