Moradores fecham rua de Macapá para cobrar asfalto

O trecho fica na Avenida dos Guaranis, no Bairro do Buritizal, Zonal Sul de Macapá.
Compartilhamentos

Por MARCO ANTÔNIO P. COSTA

Cansados de aguardar o poder público, moradores de um trecho da Avenida dos Guaranis, no Bairro do Buritizal, Zonal Sul de Macapá, fecharam a via com paus e pedras em protesto nesta sexta-feira (27).

A manifestação começou por volta das 16h30 e foi até às 19h. A Polícia Militar foi até o local para desobstruir a via, mas teve que negociar com os manifestantes, que protestaram pacificamente.

Trânsito ficou conturbado no local. Fotos: Marco Antônio P. Costa/SN

O trecho fica entre as Ruas Santos Dumont e o Bairro Laurindo Banha. Há um perímetro de terra firme e outro que é área de ponte.

Os moradores denunciam que em junho de 2018 a soluções por parte da Prefeitura Municipal de Macapá (PMM) começou as obras, mas apenas jogou terra no lugar e não completou o serviço com o asfaltamento.

PM acompanhou a manifestação pacífica

Antes, contaram os moradores, a rua era bem ruim, mas tinha um trecho asfaltado e outro por onde não se podia passar. Como as máquinas iniciaram os serviços e terra para terraplanagem foi jogada, o resultado é de muita lama no inverno e, o que eles dizem ser muito pior, muita poeira no verão.

“As crianças vivem doentes. Por que pavimentaram apenas o trecho da escola municipal que tem ali em frente? Nossas crianças também estudam nessa escola e muitas vezes não têm por onde passar. Essa nossa manifestação foi pacífica, mas estamos sem paciência e vamos cobrar das autoridades até que tudo seja ajeitado”, desabafou o morador Lucas Silva, de 18 anos.

Lama: imagem cedida pelos moradores de como o trecho fica quando chove

Ainda em junho de 2018 o trecho da Avenida dos Guaranis entre Hildemar Maia e Santos Dumont, onde fica a Escola Municipal Raimunda Guedes foi pavimentado. Isto foi em junho de 2018, o mesmo período em que foi jogado o aterro de onde os moradores estão cobrando solução.

Alguns moradores acreditam que o fato do trecho em questão ser mais próximo de uma área de ponte, fez com que houvesse menos zelo com esse setor da população, que tem 15 casas em cada lado da rua fora, são essas residências das pontes que recebem toda a poeira desse trecho da rua.

Moradores também chamaram veículos e comunicação para expressar sua indignação

Semob

A Secretaria Municipal de Obras e Infraestrutura Urbana (Semob) informou que a via será analisada pelos técnicos, que irão identificar quais serviços são necessários e inserir as intervenções no cronograma de serviços do órgão.

Deixe seu comentário
Compartilhamentos
Insira suas palavras de pesquisa e pressione Enter.
error: Conteúdo Protegido!!