Cães morrem após tomar vacina contra raiva; prefeitura suspendeu o serviço

Na quarta-feira (6), dois poodles morreram após tomar a vacina contra a raiva na manhã de quarta-feira (6), no bairro Pacoval, zona norte de Macapá.
Compartilhamentos

Por RODRIGO ÍNDIO

Dois cães da raça poodle morreram após tomar a vacina contra a raiva na manhã de quarta-feira (6), no bairro Pacoval, zona norte de Macapá. Segundo os donos dos animais tudo ocorreu após funcionários da prefeitura de Macapá entrarem na residência para vacinar os cães.

Na postagem feita no Facebook, o dono dos cães, Andrel Rafael, relata que a equipe informou que passavam pelas casas do bairro porque os postos de imunização estavam sem a vacina.

Dono mostra local ontem os cães foram encontrados mortos uma hora e meia após a vacina. Fotos: Rodrigo Índio/SN

“Logo após serem vacinados, meus cachorros vieram a óbito (casal de poodle). Antes de morrer sofreram sintomas de envenenamento, vômito, espasmos, entre outros. A pergunta que fica: era mesmo vacina? As vacinas estavam dentro de suas validades? É muita coincidência terem morrido dessa forma, logo após serem vacinados. Será que a Prefeitura de Macapá tem uma explicação? É lamentável, que isso sirva de exemplo, tomem cuidado com os seus bichinhos”, publicou Andrel Rafael.

Na postagem, muitas pessoas comentaram que passaram pelo mesmo transtorno em diferentes pontos da cidade.

Postagem viralizou nas redes sociais

Ao portal SelesNafes.com Andrel disse que tem imagens fortes de morte dolorosa dos cães Totó e Hanna, ambos de 10 anos de vida. As câmeras de segurança da residência também flagraram a ação dos supostos agentes municipais, porém, Andrel preferiu não divulgar as imagens para resguardar a integridade dos envolvidos.

Andrel esclareceu que só quer uma explicação plausível por parte da prefeitura de Macapá. Ele contou que esteve no órgão e nada foi resolvido. A família decidiu registrar um Boletim de Ocorrência.

Cães eram tratados…

… como membros da família. Fotos: Arquivo Pessoal

“Não estamos visando indenização nenhuma, graças à Deus, a gente não precisa disso. A gente só quer explicação: porque eles [os agentes] estavam passando de casa em casa? Como o lamentável fato com nossos animais, queremos evitar que aconteça com os cães de outras pessoas”, desabafou.

Já na manhã desta quinta-feira (7) a secretária municipal de saúde, Silvana Vedovelli, fez um posicionamento sobre o caso na publicação de Andrel.

“Oi gente, sou Silvana secretária de saúde de Macapá. Diante dessa situação lamentável é necessário esclarecer algumas coisas. Primeiro tranquilizar e informar que todas as vacinas aplicadas pelos funcionários do município são fornecidas pelo Ministério da Saúde e enviadas dentro do prazo de validade para atender os PETS no município. Não há histórico de óbitos de animais após a aplicação da vacina. O órgão desde que soube do caso procurou averiguar se foram os funcionários do Centro de Zoonoses que fizeram a vacinação, pois toda ficha precisa ser assinada pelo vacinador como procedimento padrão, e a dos cães em questão não foi assinada. Também fizemos contato com o Andrel Rafael, para inclusive ir até o local no momento, mas por escolha dele a visita ficou agendada para esta quinta-feira, 07, para que os procedimentos sejam realizados e que tudo seja devidamente esclarecido”, comentou Vedovelli.

Donos dos cachorros apresentaram…

… os comprovantes da vacinação

Também nesta quinta-feira (7) equipes municipais estavam averiguando a situação na cvasa de Andrel. Foi confirmado que quem aplicou a vacina nos animais foram agentes do município. O diretor da Vigilância Ambiental da Semsa Josian Silva lamentou o ocorrido e falou qual procedimento será adotado.

“Essa é uma vacina disponibilizada pelo Mistério da Saúde, então, ela está dentro da validade. E em Macapá, no momento, ela foi suspensa até que averiguemos esse caso. Vamos entrar em contato com o Ministério para verificar se houve relatos de casos de óbitos de animais em outros estados. Lamentamos o ocorrido”, disse Josian.

Agentes da prefeitura visitaram o local para buscar informações e tentar esclarecer o ocorrido

Ele ressaltou que a campanha de vacina “casa a casa” estava sendo realizada em bairros periféricos de Macapá, por causa de um problema de abastecimento do MS. O diretor, também, defendeu o profissional que aplicou a vacina nos poodles mortos.

“É um servidor nosso antigo e bastante experiente de campo, dificilmente teve culpa. Talvez, tenha sido um efeito adverso da vacina, mas só a investigação irá confirmar”, afirmou.

Diretor da Vigilância Ambiental de Macapá, Josian Silva lamentou o ocorrido

Deixe seu comentário
Compartilhamentos
Insira suas palavras de pesquisa e pressione Enter.
error: Conteúdo Protegido!!