Consórcio da Amazônia Legal costura parceria com a Alemanha

Governador do Amapá Waldez Góes dialogou com a diretora-chefe do Ministério de Cooperação alemão, Claudia Warning, especialista em políticas de desenvolvimento.
Compartilhamentos

Da REDAÇÃO

Continuando a agenda internacional em busca de cooperações técnicas e recursos de países europeus para a região, o presidente do Consórcio da Amazônia Legal, Waldez Góes, governador do Amapá, esteve na capital alemã, Berlim, para costurar uma parceria com o governo da Alemanha – que é um dos principais atores da agenda ambiental mundial.

Nesta quinta-feira (31), o governador Waldez Góes (AP) se reuniu com a diretora-chefe do Ministério de Cooperação da Alemanha, Claudia Warning, especialista em políticas de desenvolvimento.

Ele fez uma abordagem sobre as ações e o planejamento comprometidos com as agendas do clima, do desenvolvimento sustentável e do direito das populações tradicionais para ambas as regiões (Amazônia e Nordeste).

O intuito foi mostrar que os estados estão integrados e possuem um planejamento estratégico consoante com as questões ambientais do planeta, assim como têm prioridades para compatibilizar o combate aos problemas climáticos com o desenvolvimento econômico e social da região.

Reunião ocorreu no Ministério de Cooperação da Alemanha. Fotos: Ascom/GEA

No caso da Amazônia, Waldez Góes destacou que a parceria deve ser construída de maneira que alie a preservação da floresta com uma economia de baixa emissão de carbono, que gere oportunidades de emprego e renda para as 29 milhões de pessoas que vivem na região.

“Queremos parcerias não só para diminuir o desmatamento, mas, também, para aumentar a qualidade de vida, com geração de oportunidades, emprego e renda, e verticalização da produção, para as pessoas que vivem e que tomam conta da Amazônia. A maior região de preservação do mundo é, também, a região de maior vulnerabilidade social, isso não pode permanecer. E estamos nestas agendas internacionais buscando solução e parceria para resolver estes problemas do povo amazônida, e, ao mesmo tempo, preservar a floresta, zerar o desmatamento, combater o aquecimento global”, explicou Waldez à ministra Claudia Warning.

Fundo Amazônia

O Ministério Federal alemão de Cooperação Econômica e Desenvolvimento conduz o financiamento de 2 mil projetos em cerca de 90 países, entre eles, o Brasil. Juntamente com a Noruega, é responsável por repassar ao Estado Brasileiro, por meio do Fundo Amazônia, um volume de cerca de 400 milhões de euros destinados à proteção da floresta amazônica.

Como Alemanha, junto com Noruega e Reino Unido são os principais doadores do fundo, o consórcio quer atuar para não permitir o fim do mecanismo e articular para que esses países firmem compromisso com os projetos de prioridade da Amazônia.

A ministra disse que é favorável à manutenção do fundo: “Temos dialogado em relação a este tema com o governo Norueguês, que ainda se mostra hesitante, sobretudo, por causa das recentes queimadas, mas, também, se mostra aberto ao diálogo pela manutenção do fundo”, mencionou.

Ficou acertado no encontro que a embaixada da Alemanha no Brasil irá intensificar o diálogo com os dois consócios para amadurecer as parcerias. No mês de novembro, haverá nova rodada de conversações em Berlim, na Alemanha.

Deixe seu comentário
Compartilhamentos
Insira suas palavras de pesquisa e pressione Enter.
error: Conteúdo Protegido!!