• prédio do Sine (3) Fotos Iago Fonseca
    Abandonado desde 2021, prédio do Sine começa a receber reparos
  • clécio (3)
    Clécio pede confiança de eleitores onde executou obras de saúde,…
  • centro
    Novo centro vai abrigar menores por até 6 meses
  • ' />

    Após 20 anos abandonado, Asa Aberta vai abrigar centro de ressocialização

    Governo do Estado cedeu prédio no Bairro Pacoval, em Macapá, para projeto do Tribunal de Justiça do Amapá.
    Compartilhamentos

    Da REDAÇÃO

    Abandonado há mais de 20 anos, o prédio do antigo Centro de Convivência Asa Aberta, no Bairro Pacoval, próximo à região central de Macapá, vai abrigar um projeto de ressocialização de apenados do Tribunal de Justiça do Amapá.

    O imóvel, que pertence ao Estado, foi cedido pelo Governo do Amapá pelos próximos 10 anos a Associação de Proteção e Assistência a Condenados (APAC) que vai instalar no local o Centro de Reintegração Social, com o apoio do Tjap.

    Um Termo de Cooperação entre Executivo e Judiciário para a cessão da área foi assinado ontem (27) pelo governador Clécio Luís (SD) e pelo presidente do Tjap, desembargador Adão Carvalho.

    A Vara de Execuções Penais e Medidas Alternativas de Macapá disponibilizará recursos para financiar os serviços de reforma e adaptação do prédio.

    Um Termo de Cooperação para a cessão da área foi assinado pelo governador Clécio e o desembargador Adão Carvalho. Foto: Ascom/GEA

    Segundo o presidente do judiciário amapaense, atualmente a estadia de um preso no sistema penitenciário convencional custa ao Estado, em média, R$ 3 mil. Na APAC, segundo o desembargador, esse valor cairá para R$ 1,5 mil, ou seja, a metade do valor.

    “Sem falar que o índice de reincidência no crime pelos apenados que fazem parte do projeto é de apenas 15%. Enquanto no sistema comum a reincidência passa de 85%”, ressaltou Adão Carvalho.

    Espaço serve, atualmente abriga vândalos…

    … que já depredaram o local

    APAC

    APAC é a Associação de Proteção e Assistência a Condenados, também chamada de “Amando ao Próximo Amarás a Cristo”. Fundada por um grupo de voluntários cristãos, segue um modelo de ressocialização para condenados que cumprem penas nos regimes fechado, semiaberto e aberto, de modo que o detento siga as regras da instituição e participe de todas as atividades diárias que vão desde serviços domésticos até palestras de valorização da vida.

    Seles Nafes
    Compartilhamentos
    Insira suas palavras de pesquisa e pressione Enter.
    error: Conteúdo Protegido!!