Compartilhamentos

Na manhã desta segunda-feira, 13, a Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp) apresentou os resultados da “Operação Legalidade IV” deflagrada no fim de semana na Zona Sul de Macapá. O objetivo da operação é reduzir a criminalidade. No total, 170 servidores de oito instituições trabalharam na fiscalização de pelo menos cinco pontos críticos de Macapá. A polícia registrou uma redução de 73 ocorrências em comparação com a operação passada. Os bairros Congós (Zona Sul) e Novo Horizonte (Zona Norte) lideram as estatísticas de violência.

Dezenas de suspeitos foram revistados durante a Operação Legalidade

Dezenas de suspeitos foram revistados durante a Operação Legalidade

De acordo com os dados apresentados, 364 pessoas foram abordadas, seis foram encaminhadas à delegacia, 38 suspeitos foram revistados, 17 menores foram encaminhados à Deiai e 20 foram recolhidos pelo Conselho Tutelar.  De 185 veículos fiscalizados, 40 foram notificados e três removidos. 16 bares e restaurantes foram fiscalizados, seis notificados e cinco fechados.

Secretário de Segurança Pública, Nixon Kennedy

Secretário de Segurança Pública, Nixon Kennedy

A Sejusp mapeou cinco pontos críticos em Macapá, dentre eles estão os bairros do Congós e Novo Horizonte, que lideram as ocorrências de roubo, furto e assalto. Segundo o secretário da Sejusp, Nixon Kenedy Monteiro, cerca de mil ocorrências já foram registradas este ano no Congós. “Neste bairro são registradas, em média, sete ocorrências diárias de roubo e assalto. Considerando as outras capitais do Brasil não são números altos, mas é preocupante em nível estadual”, disse o secretario.

Na fiscalização de bares e boates, uma casa noturna foi fechada na orla do Bairro Santa Inês. Segundo a polícia, além de irregularidades na infraestrutura e na documentação, há suspeita que o local estava sendo usado como casa de prostituição. Quatro menores foram apreendidos no local e encaminhados para o Conselho Tutelar. Nenhum homicídio ou morte no trânsito foi registrado. Em comparação com a operação anterior, a Legalidade IV foi considerada um sucesso, já que teve um menor efetivo e gerou maiores resultados.

 

Compartilhamentos