Compartilhamentos

Depois de vários de protestos os professores da Escola Gabriel de Almeida Café, antigo CCA, conseguiram reverter a nomeação do novo diretor do estabelecimento. O professor Rener Passos havia sido nomeado pela Secretaria de Estado da Educação, mas os professores não aceitaram o nome dele. Na noite de terça-feira, 3, Rener pediu exoneração. O pedido já foi acatado pelo governador do Estado Waldez Góes.

Os protestos começaram na quarta-feira da semana passada quando os professores tomaram conhecimento da nomeação do professor Rener. Para a maioria dos professores, o gestor nomeado não possuía conduta ética e nem habilidade de diálogo que a referida instituição necessita. “Não é nada pessoal, mas ele não possuía perfil de gestor. Nesse momento a categoria acata a decisão do governo, mas já vamos sentar com o novo gestor para organizar o Grêmio Estudantil, Conselho Escolar e a gestão da escola”, ressaltou Antônio Guterres, professor há 22 anos na escola.

Ainda na terça-feira a Secretaria de Educação anunciou o nome do novo diretor da Escola Gabriel de Almeida Café. Quem vai assumir interinamente por três meses o cargo é o professor Marco Aurélio Balieiro de Souza. Segundo o Sindicato dos Servidores Públicos em Educação no Amapá (Sinsepeap), Marco Aurélio vai organizar a gestão e preparar uma eleição democrática para a escolha do gestor definitivo.

Compartilhamentos