Governo terá de informar sobre localização de guerrilheiros desaparecidos

Relatório sugere que corpos de guerrilheiros podem ter sido enterrados em Oiapoque.
Compartilhamentos

DA REDAÇÃO

O Ministério Público Federal (MPF) do Amapá quer que o governo estadual preste informações sobre a busca por desaparecidos políticos durante a Guerrilha do Araguaia, ocorrida entre 1960 e 1970.

De acordo com o MPF, relatório da Comissão Estadual da Verdade (CEV) sugere que corpos de guerrilheiros podem ter sido enterrados na vila de Clevelândia do Norte, em Oiapoque, a 590 quilômetros de Macapá.

A localização de vítimas desaparecidas durante a ditadura militar é uma das obrigações impostas ao Brasil em sentença da Corte Interamericana de Direitos Humanos (CIDH).

Segundo o relatório da CEV, o governo do extinto Território Federal do Amapá, possivelmente, colaborou com a ocultação de cadáveres durante o período de repressão. Familiares de vítimas e de militares falaram em depoimento que existia em Oiapoque um cemitério clandestino onde podem estar enterradas vítimas de execuções durante a Guerrilha do Araguaia.

Além da localização dos desaparecidos, o MPF cobra do governo do Amapá o atendimento a outras recomendações da CEV, entre elas, o pedido formal de desculpas às vítimas de violações e aos seus familiares; placas de memória na Fortaleza de São José de Macapá e Museu Joaquim Caetano, locais de prisão e tortura durante a ditadura militar; centro de memória e verdade onde será exposto o trabalho da CEV, especialmente material audiovisual; e formação em Direitos Humanos especialmente

Deixe seu comentário
Compartilhamentos
Insira suas palavras de pesquisa e pressione Enter.