Sargento acusado de matar servidor da Justiça vai a júri popular

Policial teria praticado crime após culto evangélico, por ciúmes da ex-esposa.
Compartilhamentos

DA REDAÇÃO

Vai a júri popular, na sexta-feira (4), o sargento da Polícia Militar acusado de matar o servidor da Justiça Gerson Martins Rodrigues. O réu, Abraão Jardim Machado, era lotado no Batalhão de Trânsito (BPTran) e teria cometido o homicídio por ciúmes da ex-esposa.

O crime ocorreu no dia 27 de novembro de 2016, no Bairro Novo Buritizal, na zona sul de Macapá. A vítima tinha acabado de sair de um culto evangélico, onde também estava o sargento.

Gerson Martins Rodrigues, à época com 46 anos, deu uma carona para a ex-esposa do policial e uma amiga. Quando chegaram em uma residência na Rua José Augusto Façanha, foram surpreendidos pelo militar que efetuou os disparos que tiraram a vida do servidor.

Sargento Abraão foi preso no Comando Geral da PM, em 2016. Foto: Reprodução

Abraão Jardim Machado foi preso dois dias depois. Ele sentará no banco dos réus em sessão da 1ª Vara do Tribunal do Júri da Comarca de Macapá. O juiz Luiz Nazareno Borges Hausseler conduzirá os trabalhos.

Um pedido de habeas corpus em favor do sargento foi negado em março deste ano pelo relator do processo, o desembargador Rommel Araújo de Oliveira, e por votação unânime do Tribunal de Justiça do Amapá (Tjap).

Gerson Martins Rodrigues dava carona para ex-esposa do sargento

Segundo o voto do relator, Abraão Jardim responde por outros crimes e, no caso em julgamento, fica expresso que mesmo separado há cinco anos de sua ex-esposa reiteradamente a ameaçava, conforme revelam os autos.

Deixe seu comentário
Compartilhamentos
Insira suas palavras de pesquisa e pressione Enter.
error: Conteúdo Protegido!!