Operação da PF afasta servidores do governo acusados de fraudar concessão florestal

PF cumpriu mandados na manhã desta sexta em Macapá
Compartilhamentos

DA REDAÇÃO

Na manhã desta sexta-feira (28), a Polícia Federal deflagrou uma operação que visa desarticular um esquema de concessão de planos de manejos florestais irregulares no Amapá. 

Agentes da PF cumprem três mandados de busca e apreensão e de afastamento do poder público dos envolvidos nas fraudes. Os locais onde ocorrem as incursões não foram revelados. A Operação Sesmaria é realizada em conjunto com o Ministério público Federal (MPF). 

De acordo com a PF, as investigações apontam indícios na concessão de planos de manejo ideologicamente falsos no interior da Floresta Estadual do Amapá (Flota), concedendo licença ambiental aos interessados para desempenhar atividade de manejo florestal de forma aparentemente legal.   

Dados seriam alterados por servidores. Foto: Arquivo/SN

A falsificação era garantida por mio de servidores que inseriam dados fictícios no Sistema de Cadastro Ambiental Rural (Sicar) e emitia documentos falsos. 

Os investigados responderão, na medida das suas responsabilidades, pelos crimes de falsidade ideológica, falsificação de documento público, inserção de dados falsos em sistema de informação, vendas de terras públicas, dano à unidade de conservação, desmatamento e organização criminosa. Se condenados, poderão cumprir pena de até 40 anos de reclusão.

O governo do Estado comunicou que falará sobre o assunto ainda durante esta amanhã, em coletiva de imprensa, no Palácio do Setentrião. 

O nome da operação, Sesmaria, remete ao acesso a “terras virgens” ou “desconhecidas” que ocorria mediante doações da coroa portuguesa.

Foto de capa: PF/divulgação

Deixe seu comentário
Compartilhamentos
Insira suas palavras de pesquisa e pressione Enter.
error: Conteúdo Protegido!!