Santinhos no chão podem gerar multa de R$ 8 mil para candidatos

MP Eleitoral busca inibir a prática irregular da “chuva de santinhos” nas ruas
Compartilhamentos

RODRIGO INDINHO

Na manhã desta terça-feira (23), o Tribunal Regional Eleitoral do Amapá (TRE) promoveu uma audiência pública sobre material impresso de campanha espalhado pelas ruas, às vésperas da votação. A ação do Ministério Público Eleitoral (MP Eleitoral) busca inibir a prática irregular da “chuva de santinhos” no 2º turno das eleições.

Os candidatos ao governo do Amapá e seus representantes foram convidados para expor as estratégias para recolhimento do material de sobra de campanha após o término do prazo permitido para propaganda.

Audiência pública aconteceu no auditório do TRE Foto: Rodrigo Indinho

A chapa de Waldez Góes (PDT) e Jaime Nunes (PROS) teve representação na audiência; a chapa de João Capiberibe e Andreia Tolentino, ambos do PSB, não compareceu e não enviou representante.

Segundo o juiz Jucélio Fleury, a ação do MP Eleitoral também pede que os candidatos ao governo sejam responsáveis por recolher propaganda eleitoral existente em seus nomes e que esteja espalhada pelas ruas e calçadas.

Juiz eleitoral Jucélio Fleury Foto: Rodrigo Indinho

“Queremos evitar a poluição ambiental que aconteceu no primeiro turno, onde houve cerca de uma tonelada de ‘santinhos’ despejados somente em Macapá. Caso seja identificado um derramamento indiscriminado, pode ser aplicada a sansão de multa de R$ 2 mil a R$ 8 mil para o candidato em cada local onde houver a infração, e a detenção em razão do infrator”, comentou o juiz.

A propaganda com material impresso de campanha é permitida até as 22h de sábado (27).

Deixe seu comentário
Compartilhamentos
Insira suas palavras de pesquisa e pressione Enter.
error: Conteúdo Protegido!!