Após assalto e perder o Enem, a ajuda para voltar a sonhar

Advogada agora busca apoio para Edelson Trindade prestar novo exame junto com a irmã, que também perdeu a prova para ajudá-lo
Compartilhamentos

RODRIGO INDINHO

O emocionante encontro entre Adirleide Greice Carmo de Souza, de 32 anos, e o jovem Edelson da Costa Trindade, de 21 anos, aconteceu na manhã desta terça-feira (13), no Bairro do Araxá, na zona sul de Macapá. Greice Souza ficou comovida com o caso do jovem que prestaria o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e foi assaltado e agredido com uma pedrada na cabeça, na Orla da capital, e se dispôs a ajudar.

Tímido, Edelson Trindade agradeceu apoio Fotos: Rodrigo Indinho/SN

A professora e advogada chegou a lançar na tarde de segunda-feira (12) uma campanha nas redes sociais para encontrar o estudante. 

Após reportagem veiculada no portal SelesNafes.com, a irmã de Edelson Trindade entrou em contato com Greice Souza e o encontro foi marcado.

Comovida com a história do jovem, a advogada Greice Souza foi ao encontro…

 

…de Edelson Trindade, no Araxá

Mesmo sem grande condição financeira, a professora procurou atenciosa a residência da família de Edelson na área periférica do Bairro do Araxá, visando ajudar o jovem. Ao encontrar o rapaz, recebeu um forte e apertado abraço.

“Quero agradecer as pessoas que mobilizaram e proporcionaram esse encontro. As que estão ajudando, irei responder a todos. Com toda a responsabilidade que me atribuíram e pelo bem que de alguma forma plantei, vim até o Edelson dizer que ele ganhou uma madrinha para essa empreitada dele na vida acadêmica”, ponderou Greice Souza.

Edelson: quero ser engenheiro elétrico

Bastante tímido, Edelson Trindade disse que após o assalto, mesmo ferido, queria fazer a prova, mas foi impedido. Ele afirma que continuará focado nos estudos e faz agradecimentos.

“Continuarei focado pois almejo o curso de Engenharia Elétrica e isso não fará eu desistir. Através da grande repercussão, vejo que ainda existem pessoas boas de coração, então, queria agradecer imensamente a professora Greice e a todas as pessoas que querem me ajudar, a elas desejo que Deus dê tudo em dobro”, comentou Edelson Trindade.

Ferimentos após assalto acabaram adiando sonho da universidade, que continuará

Família

Edelson é filho de pescador e uma agricultora aposentada. O casal tem 8 filhos. Ele mora com a família na região de Jurupari, ilha pertencente ao Estado do Pará, a 5h de barco de Macapá.

O jovem veio a convite da irmã, que vive em Macapá, prestar o Enem na capital amapaense, por ser a área urbana mais próxima. Após o episódio do assalto, ela também acabou perdendo a prova para ajudar o irmão.

Edelson disse que em 2017 conseguiu concluir o ensino médio através do Exame Nacional para a Certificação de Competências de Jovens e Adultos (Encceja).

Jovem foi agredido com pedrada na cabeça por assaltantes

Futuro

A professora e advogada disse que o próximo passo é aguardar o pai do jovem chegar do interior para decidir o futuro de Edelson. Caso o jovem venha a estudar na capital, o cursinho será custeado. Se ele decidir permanecer em sua localidade será ofertado todo o suporte para ele se preparar para o Enem.

“Foi cogitado que ele pode fazer a prova em dezembro. Apoiaremos, porém, já disse a ele que é uma tentativa, se não der certo que ele não desista que com certeza tudo vai da certo muito em breve e ele será um engenheiro elétrico”, disse esperançosa Greice Souza.

Pessoas que queiram contribuir com os estudos de Edelson Trindade e da irmã, com a alimentação na cidade ou qualquer tipo de doação, podem entrar que entrar em contato pelo número 98135-0990 ou pelo Facebook: Greice Souza.

Edelson mostra o boletim de ocorrência

Entenda o caso

O jovem Edelson da Costa Trindade foi assaltado e ferido com uma pedrada na cabeça, durante a manhã de domingo (11), por dois bandidos no Parque do Forte, na Orla de Macapá, quando se dirigia para fazer o Enem, na Escola Estadual Gabriel de Almeida Café.

Edelson agora decidirá se vai estudar em Macapá ou na comunidade onde mora

A vítima contou que passava de bicicleta pelo local quando foi abordado e, mesmo tendo entregado um celular e um relógio, foi agredido.

Edelson Trindade foi socorrido e levado ao Hospital de Emergência de Macapá. Apesar de ter perdido grande quantidade de sangue, o ferimento não foi grave. Porém, ele acabou perdendo o horário da prova para ser atendido.

Deixe seu comentário
Compartilhamentos
Insira suas palavras de pesquisa e pressione Enter.