Compartilhamentos

Depois 360 quilômetros percorridos em sete horas entre os municípios de Calçoene e Macapá, o jacaré-açu de 3,80 metros já está em seu novo lar, o Parque Zoobotânico de Macapá, no Distrito da Fazendinha. A fêmea de quase meia tonelada está muito machucada, mas começou a receber tratamento de veterinários.

O animal foi capturado por determinação da Justiça de Calçoene porque havia o risco de ataques a crianças que tomam banho no rio. A fêmea já tinha sido vista em dias diferentes no Rio Calçoene, próximo da entrada da cidade.

Novo lar tem 180 metros quadros, um lago artificial e algumas árvores

Novo lar tem 180 metros quadros, um lago artificial e algumas árvores

A captura foi realizada na última quarta-feira, 22. Desde então, o animal ficou amarrado, sem água ou comida. Além dos ferimentos causados durante a captura, o jacaré foi atingido por dois tiros, um na cabeça e outro na região lombar. Depois de imobilizado, o jacaré precisou ser transportado por uma retroescavadeira até o caminhão que o trouxe para Macapá.

Mirella Cavalcanti, bióloga: fêmea atraída pelo barulho e restos de comida jogada no rio

Mirella Cavalcanti, bióloga: fêmea atraída pelo barulho e restos de comida jogada no rio

Biólogos suspeitam que a fêmea com mais de 20 anos esteja grávida. Nesta manhã, 24, depois de uma exaustiva viagem, o animal foi colocado com facilidade no logradouro de 180 metros quadrados, que tem um lago artificial e algumas árvores.  “Por causa do método de captura, o animal não apresentou muita resistência e foi logo imobilizado. Esse animal é o maior da Amazônia e estava em seu habitat. Já identificamos que essa fêmea estava próxima da beira pelo barulho, pelos peixes e os restos de comida que estavam ali na beirada”, explicou a analista ambiental do Ibama que acompanha o animal desde Calçoene, Mirella Cavalcanti.

Ao todo foram necessários 10 homens e uma retroescavadeira para transportar o animal da carroceria do caminhão até seu lar temporário no Parque Zoobotânico. Hoje o Parque abriga 60 animais entre aves, mamíferos e répteis. “Temos condições para cuidar desse animal e depois devolvê-lo ao meio ambiente. Ela está bastante ferida, mas pelo porte e espécie logo estará recuperada”, disse o diretor do Parque, Marcio Pimentel.

Debilitado, animal não ofereceu resistência

Debilitado, animal não ofereceu resistência

De acordo com a veterinária Betina Essi, ainda é cedo para avaliar com maior exatidão o estado de saúde do animal. “Eu ainda vou avaliá-la minunciosamente. Mas, a princípio, temos quer retirar a bala alojada na cabeça, curar os ferimentos e dar todo o conforto possível ao animal. Ainda vamos confirmar se realmente ela está grávida. O tempo de recuperação e como ela deve ficar só saberemos durante o tratamento”. Segundo o Ibama, depois de recuperado o animal será solto no Lago Piratuba, unidade de conservação localizada em Cutias do Araguari.

Compartilhamentos