Compartilhamentos

Um vídeo gravado na frente da Escola Estadual Tiradentes, na Avenida FAB, Bairro Santa Rita, já teve quase 850 mil visualizações na internet. Ele mostra um vendedor de cocada de 21 anos, que foi motivo de chacota, mas deu uma lição de moral em um aluno que o teria menosprezado por seu trabalho. Veja o Vídeo Abaixo:

O vendedor Carlos André Rodrigues Teixeira, de 21 anos, morador do Bairro Zerão, Zona Sul de Macapá, conta que o vídeo começou a ser feito quando um aluno tentou ridicularizá-lo por ser um vendedor de cocada. “Ele brincou que o pai era um serventuário da Justiça e que não precisava encher o saco das pessoas vendendo cocada. Foi aí que comecei a traçar uma narrativa que destacasse que não me envergonho de ser vendedor de rua”, contou Carlos.

Mas, diferente do que Carlos conta no vídeo, ele não é acadêmico de medicina, um sonho que ele ainda pretende quer concretizar. “Tudo foi uma forma de mostrar que não importa se sou aluno de medicina, ou filho de um desembargador qualquer, o que importa é o caráter da pessoa em ter uma profissão digna sem precisar mexer no que é dos outros”, acrescentou.

Carlos André

Carlos André se prepara agora para concurso do Banco do Brasil. Livros estão sempre com ele.

Hoje ele continua lutando para ser acadêmico de medicina. Mas enquanto esse sonho não é realizado, ele diz que pretende fazer matemática usando sua nota no Enem. Dos 3 mil pontos alcançados, 840 foram em redação. Carlos também garante que será aprovado no concurso que está sendo lançado pelo Banco do Brasil. 

Carlos contou que a paixão por cálculo surgiu ainda no ensino médio quando, por meio de um professor e um grupo de alunos, começou a aprender métodos matemáticos que só eram aplicados nas universidades. “Nesse caminho consegui destaque nas Olimpíadas Brasileiras de Matemática e junto com meus amigos ainda ganhamos um prêmio de robótica, quando estudávamos na Escola Alexandre Vaz Tavares. Cheguei a começar dois cursos de nível superior, mas desisti porque não era o que eu queria. Primeiro comecei um curso de química na Universidade Estadual, mas desisti. Em seguida saí do curso de Enfermagem na Unifap”, conta o estudante que pretende continuar sendo vendedor enquanto não for formado.

Compartilhamentos