Compartilhamentos

A juíza Fabiana Oliveira, da 4ª Vara Cível e de Fazenda Pública, bloqueou liminarmente os bens do ex-governador Camilo Capiberibe (PSB) até o valor de R$ 54,8 milhões. A decisão da Justiça teve como base uma ação de improbidade administrativa impetrada pela Procuradoria Geral do Estado (PGE) que acusa Camilo de reter o dinheiro descontado da folha de pagamento do Estado e não repassar aos bancos que fizeram empréstimos consignados aos funcionários públicos.

De acordo com subprocurador geral do Estado, Julhiano Avelar, a PGE continua a investigação para saber onde foi parar esse dinheiro que não chegou às instituições financeiras.

“A liminar foi concedida pela Justiça porque está bem evidente o rombo nas finanças do Estado e a autoria está caracterizada de forma contundente. Com isso, a Justiça garante que ao final do processo o Estado seja ressarcido”, explicou Avelar, ressaltando que a PGE entrou com quatro ações contra o ex-governador Camilo Capiberibe.

Julhiano Avelar informou ainda, que não foi só Camilo Capiberibe que teve os bens bloqueados. A Justiça também bloqueou os bens dos ex-secretários Jardel Nunes, da Saúde; Jucinete Carvalho, da Fazenda; Azolfo Gemaque, da Administração e Alípio Júnior, que dirigiu o Prodap. 

SelesNafes.Com entrou em contato com a assessoria de imprensa do ex-governador, mas não houve retorno. No dia 14 de maio, Camilo Capiberibe disse em nota, “que as ações da PGE não passam de uma estratégia política”.

Compartilhamentos