Compartilhamentos

O reajuste da tarifa de ônibus em Macapá, em vigor desde o fim de semana passado, ainda está gerando reclamações. Nesta quinta-feira, 10, universitários e alunos da rede pública se reuniram na Praça da Bandeira, centro da capital, para protestar. Eles também se dirigiram a Câmara dos Vereadores para expor suas reivindicações. Os trabalhos da Câmara foram paralisados para os vereadores ouvirem os estudantes.

Eles disseram que não foram procurados pelo Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros (Setap), nem pela prefeitura para discutir o assunto. As galerias da Câmara de Vereadores ficou tomadas por pessoas que puxavam gritos de repúdio ao aumento.

Acácio Favacho, presidente da Câmara: os vereadores também são contra o reajuste. Fotos: André Silva

Acácio Favacho, presidente da Câmara: os vereadores também são contra o reajuste. Fotos: André Silva

Alguns vereadores expuseram suas opiniões, e todos são contra ao aumento da tarifa. “Todos os estudantes são bem vindos a esta Casa. Eu sugeri aos vereadores fazer uma pausa na sessão para ouvirmos eles. Os vereadores não concordam com o aumento, até porque, pela nossa legislação, esse assunto deveria ter passado pela Câmara, o que não aconteceu”, disse o vereador Acácio Favacho, presidente da Câmara.

Estudantes lotaram as galerias e vereadores adiaram sessão

Estudantes lotaram as galerias e vereadores adiaram sessão

A aluna Louise Colares foi a primeira a usar a tribuna. “É um absurdo um aumento desses, dado na calada da noite. Outro absurdo é o que eles usaram como justificativa, que foi o aumento da frota e a implantação de wi-fi nos ônibus. Ou seja, vamos pagar por algo que ainda nem existe e nem sabemos se vai existir de fato. O dinheiro de nossos pais não é capim”, asseverou a estudante.

Compartilhamentos