Compartilhamentos

HUMBERTO BAÍA, DE OIAPOQUE – 

Nos últimos cinco dias, quem passa pelas ruas Coaraci Nunes e Onório Silva, na esquina do Banco do Brasil, no município de Oiapoque, no Norte do Amapá, não pode deixar de admirar um tom de rosa na paisagem. São os ipês que florescem nesta época do ano e dão um clima mais alegre para a cidade que fica na fronteira com a Guiana Francesa.

As flores de ipês surgem normalmente em setembro com o início da primavera no Hemisfério Sul. A estação termina com o solstício de dezembro. Em Oiapoque, por alguma razão ainda desconhecida, não é todo ano que acontece essa florada intensa que deslumbra as pessoas.

As flores tem um formato recortado e um intenso tom de rosa em forma de sino.

Ainda não se sabe porque razão elas não florescem todos os anos

Ainda não se sabe porque razão elas não florescem todos os anos

“Todos os dias eu passo por aqui, mas este ano está muito mais bonito. Apesar dar dificuldades da cidade, me sinto como Alice no Pais das Maravilhas,” descreve a microempresário Jordana da Silva.

As árvores só vingam depois de dez de tentativas de plantio, isso se estiverem cultivadas com bastante água e boa terra.

As árvores percorrem a rua no Centro de Oiapoque. Fotos: Humberto Baía

As árvores percorrem a rua no Centro de Oiapoque. Fotos: Humberto Baía

O ipê-rosa é uma árvore nativa da América do Sul. A madeira é preciosa, usada como medicamento, e é utilizada na medicina alternativa. O ipê contem potássio, cálcio, ferro, bário, estrôncio e iodo, e também um potente antibiótico.

Portanto, quem ainda não viu é melhor se apresar. A florada já está quase no fim. Quando as flores caírem, talvez só no ano que vem comece outro ciclo.

Compartilhamentos