Compartilhamentos

CÁSSIA LIMA

Profissionais de enfermagem do Estado entraram em greve por tempo indeterminado desde quinta-feira, 11.  Na manhã desta sexta-feira, 12, eles voltaram a se aglomerar em frente a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa). Os trabalhadores reivindicam, entre outras coisas, o pagamento da Gratificação de Assistência à Saúde (GAS). A Sesa disse que vem mantendo conversações com a categoria no sentido de solucionar as questões, e por fim à greve.

Os servidores reclamam que estão há dois meses sem receber plantões e a GAS. Além disso, não receberam as progressões e exigem a convocação de concursados de 2012. Eles também reclamam da falta de insumos nos hospitais.

Adelson, do Sindsaúde: precisamos reivindicar nossos direitos

Adelson Santos, do Sindsaúde: precisamos reivindicar nossos direitos. Fotos: Cássia Lima

“Faltam alguns medicamentos e materiais, como dreno de tórax, por exemplo. Em alguns casos, médicos e enfermeiros fazem coleta para a realização de procedimentos cirúrgicos. Além disso, não tem cabimento trabalharmos sem receber nada”, destacou o diretor do Sindicato de Enfermagem e Trabalhadores da Saúde (Sindsaúde), Adelson Santos.

A categoria paralisou as atividades nos dias 1, 2 e 3 de fevereiro, após isso a greve foi deflagrada. O Sindsaúde estima que cerca de dois mil profissionais façam parte do movimento, que reuniu pouco mais de 100 pessoas nesta manhã em frente à Sesa, no Centro de Macapá.

Cerca de servidores se aglomeram em frente ao prédio da Sesa, no Centro da Cidade

Cerca de 100 servidores se aglomeram em frente ao prédio da Sesa, no Centro da Cidade

“A gente sabe que a população precisa desse atendimento. Temos a sensibilidade de reconhecer isso e deixar 50% dos trabalhadores em seus postos, mas também precisamos reivindicar nossos direitos”, frisou a também diretora do Sindsaúde, Ane Melo.

A Sesa divulgou uma nota esclarecendo que “mantém o diálogo com a categoria por meio das secretarias de Saúde, Administração, Planejamento e Fazenda, na busca de alternativas para solucionar as questões, entre elas o pagamento do retroativo da Gratificação de Atenção à Saúde”.

Segundo a nota, o pagamento dos plantões extras, referente aos meses de novembro e dezembro, será efetuado ainda nesta sexta-feira, 12.

“Vale ressaltar que o pagamento foi suspenso porque existia legislação que amparasse ou justificasse a dispensa do recurso pela Sesa. Por cinco anos foi pago ilegalmente e no dia 18 de janeiro o governador Waldez Góes sancionou a Lei do Plantão Extra”, diz a nota, afirmando que o governo também estuda o impacto na folha para possível contratação de concursados.

Compartilhamentos