Compartilhamentos

DA REDAÇÃO

A Secretaria de Inclusão e Mobilização Social (Sims) começou a analisar a situação de 430 famílias que foram condenadas a deixar uma área invadida no Bairro das Pedrinhas, na Zona Sul de Macapá. A reintegração de posse foi determinada pela Justiça Federal no último dia 19.

Uma parte da área é particular e outra pertence ao Estado. O local vai receber a obra de duplicação da Avenida Equatorial e a construção de um museu na Linha do Equador.

O Estado firmou acordo com a Justiça Federal se comprometendo a encaminhar as famílias para o ‘Programa Minha Casa, Minha Vida’, desde que elas estejam dentro dos critérios do programa.

As que forem aprovadas receberão apartamentos no conjunto Macapaba, na Zona Norte da capital. As que não obedecerem aos requisitos serão despejadas pela Justiça Federal.

Famílias que não se enquadrarem nos requisitos do programa serão despejadas. Foto: Secom

Famílias que não se enquadrarem nos requisitos do programa serão despejadas. Foto: Secom

“Essas pessoas ocuparam o local de forma ilegal, mas não é o nosso objetivo ver elas na rua. Por isso, encontramos outra saída, absorvendo elas para dentro desses empreendimentos e, assim, proporcionando moradias dignas. O governo do Estado vai dar todo o apoio para esse momento de transição delas”, garantiu o vice-governador do Estado, Papaléo Paes (PP).

Os dossiês sobre as famílias serão encaminhados para a Caixa Econômica Federal, encarregada de elaborar os contratos de financiamento. A previsão é que as famílias sejam transferidas para o Macapaba até setembro.

Compartilhamentos