Compartilhamentos

ANDRÉ SILVA

Os bancários definiram em assembleia geral, no início da noite desta quinta-feira, 1, pela deflagração de greve a partir do dia 6, próxima terça-feira. A categoria reivindica reajuste de 14,78%, participação nos lucros e contratação de mais funcionários.

Bancários realizaram assembléia em Macapá na noite desta quinta, 1.

Bancários realizaram assembléia em Macapá na noite desta quinta, 1. Foto: Divulgação

A proposta foi apresentada pela Confederação dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf)  para a Federação Nacional dos Bancos (Fenabran) no último dia 9 de agosto e, no dia 30, recebeu a contra proposta de 6,5%.

A categoria no Amapá referendou a proposta de sua entidade de representação nacional. Em todo o Estado, atualmente, há um total de 850 bancários trabalhando em bancos públicos e privados, segundo informações do sindicato.

Segundo o presidente do Sindicato dos Trabalhadores do Ramo Financeiro do Amapá (Sintraf), Edson Gomes, mais de 4 mil funcionários foram demitidos somente neste primeiro semestre do ano em todo o Brasil.

“Estamos reivindicando novas contratações, porque hoje o trabalhador está fazendo o serviço de quatro pessoas dentro da agência. Queremos, além disso, a participação nos lucros que só neste primeiro semestre chegou a R$ 29 bilhões ” informou o sindicalista.

Gomes disse ainda que os bancos manterão um percentual de 30% de funcionários para realizar o atendimento. A greve é por tempo indeterminado.

 

Compartilhamentos