Compartilhamentos

DA REDAÇÃO

O senador Randolfe Rodrigues (REDE) se posicionou contrário ao aumento de 46,6% na fatura de energia elétrica a partir de janeiro de 2017.

O parlamentar usou as redes sociais para recordar sua atuação em defesa da Companhia de Eletricidade do Amapá (CEA) e contra sua possível privatização.

A aprovação do reajuste tarifário ocorreu na terça-feira, 13, e atingirá 198 mil unidades consumidoras nos 16 municípios do Amapá. É um dos maiores reajustes já feitos na história da CEA, que alega 11 anos de congelamento.

De acordo com o senador, ele vem alertando há um tempo que o consumidor irá pagar a conta dos problemas relacionadas com a CEA e os problemas do setor energético do país.

Atuação

Em agosto deste ano, o parlamentar tentou derrubar o veto do Projeto de Lei de Conversão (PLV) 11/2016 (Medida Provisória 706/2015) que permitiria de 30 para 210 dias a prorrogação de contratos com o setor elétrico, dando mais tempo para as distribuidoras de energia prorrogarem a concessão do serviço.

“De todos os vetos, esse é um dos mais cruéis com as concessionárias de energia elétrica da Amazônia. O veto não tira um centavo a mais da União, senão aqueles que são devidos para essas concessionárias de energia e que foram subtraídos deixando a conta para as empresas da região norte que menos recursos têm”, disse.

A proposta permitiria que sete companhias pudessem quitar suas dívidas com a Petrobras.

 

 

Compartilhamentos