Compartilhamentos

DA REDAÇÃO

Um homem foi preso na manhã desta terça-feira (13), no Bairro Araxá, zona sul de Macapá, acusado de vender uma falsa procuração, que seria usada para retirada de um veículo apreendido do Detran.

José Uerbeth Alves Ferreira, de 45 anos, teria oferecido o serviço por R$ 350 para um homem que havia comprado recentemente o carro de outra pessoa e estaria ainda sem o registro do mesmo.

Segundo o homem, que não teve o nome revelado, após ter efetuado o pagamento, José Uerbeth Alves Ferreira, que se apresentou como despachante, teria providenciado o falso documento, datado no dia 8 de junho, com um selo que simula ser de um cartório de Macapá.

Documento vendido por falso despachante. Fotos: Leonardo Melo

A vítima então se dirigiu até o Detran nesta terça e apresentou a documentação para tentar retirar o carro. Porém, a equipe de liberação do Detran detectou que poderia se tratar de um selo falso do cartório.

Ele então relatou a procedência do documento e que José Uerbeth Alves Ferreira havia o procurado para oferecer o serviço. O infrator, que não tem nenhum vínculo com o órgão, foi localizado pelos agentes de investigação do Detran em sua residência e preso.

“Entramos em contato com o cartório e informamos a numeração que consta na tal procuração e foi confirmado que o documento era falso e que nunca passou por eles. É uma falsificação bem grosseira, pela assinatura, pelas letras e pela assinatura do tabelião”, disse o sargento Pascoal, que coordenou a operação.

Segundo o sargento, foi confirmado também que ele não é despachante e que trabalhava com a venda de placas.

“Há suspeitas de que ele vive de fazer rolo com veículos e de que falsificava documentos anos atrás, mas isso ainda será apurado”, disse.

Equipe de liberação do Detran percebeu que havia problema na documentação. Foto: Cássia Lima

O agente disse também que a prática de falsas procurações havia sido detectada um ano e meio atrás, quando um cartório clandestino foi estourado em uma operação.

“A prática continuou para nossa surpresa. Após investigações, vai se chegar a conclusão se há outro cartório ou não”, explicou.

O falso despachante foi levado ao Ciosp do Pacoval,onde prestou esclarecimentos ao delegado de plantão e foi liberado para responder em liberdade ao crime.

O sargento Pascoal alerta ainda para as pessoas que busquem realizar o procedimento de forma correta para a retirada de veículos, para não haver constrangimentos ou suspeitas.

“Quando chega uma procuração dessa, de cunho particular, procuramos logo identificar se o selo do cartório é verdadeiro ou não, temos equipamentos para isso. Aconselhamos o usuário a procurar a pessoa que é proprietária. Se não conseguiu passar ainda pro seu nome, deve procurar o proprietário do veículo e ir até o cartório e trazer uma documentação pública do cartório, que é uma coisa mais segura, finalizou.

Compartilhamentos