Compartilhamentos

ANDRÉ SILVA

O Sindicato dos Auditores e Fiscais de Tributos do Município de Macapá vai ajuizar uma ação com o objetivo de estender a transposição para cerca de cem servidores, como aconteceu com funcionários públicos do antigo território do Amapá.

Para o sindicato, isso seria possível por causa da lei de extinção dos antigos territórios, que diz que por dez anos, todo novo estado seria mantido pela União. Todos os servidores que vão entrar no processo ingressaram para o serviço público em 1998. O Amapá ganhou a credencial de estado em 1988.

“Todos os servidores contratados nesse período têm o direito à transposição”, acredita Orfir Fernando, presidente do sindicato.

Ele lembra do que aconteceu em Rondônia, e, recentemente, com o os servidores do Amapá, que conseguiram a transposição. Orfir  Fernandes acredita que o mesmo pode acontecer com os funcionários da prefeitura de Macapá.

“Estamos finalizando o processo, preparando a documentação de todos os sindicalizados para apresentar o pedido. Sabemos que será um processo demorado. Nosso advogado nos deixou muito confiante desta causa”, reforçou o presidente.

Compartilhamentos