Compartilhamentos

O que começou com um simples café da tarde tem tudo para terminar numa aliança 100% feminina para as eleições deste ano. Ainda é cedo para afirmar, mas Aline Gurgel (PR) e Francisca Favacho (Pros) tem o mesmo objetivo, visão e densidade política suficiente para fazer a diferença na corrida pelo Palácio do Setentrião.

Aline Gurgel pertence a um grupo grande de pequenos e médios partidos, como o PRB, PHS e o próprio PR, e tem boas relações com o PPS e até o PMDB, assim como Francisca Favacho, que conversa com os mesmos partidos e vem de uma campanha em 2010 que lhe trouxe bons resultados. Foi vice na chapa de Jorge Amanajás (hoje no PPS) na corrida pelo governo do Estado, e depois (no segundo turno) abraçou a candidatura de Lucas Barreto (PSD), na época filiado ao PTB.

Auge do primeiro turno em 2010.

Auge do primeiro turno em 2010.

No ano passado, Francisca deixou o PMDB e fundou o Pros, o Partido Progressista da Ordem Social, do qual se tornou a presidente e, logo de cara, recebeu adesões de políticos que migraram de outros partidos em vários municípios. O partido, apesar de novo, ficou grande no Estado. O prestígio e a experiência de Francisca ajudaram os filhos a crescer na política, no caso Acácio Favacho (PMDB), presidente da Câmara de Vereadores, e o deputado estadual Júnior Favacho (PMDB), ex-presidente da Assembleia Legislativa.

A exemplo de Francisca, a vereadora Aline Gurgel pontua em várias pesquisas e no próximo dia 4 (sexta-feira) lança pré-candidatura ao governo do Estado em uma plenária sobre o papel da mulher na política. O evento está marcado para ocorrer na Câmara de Vereadores e uma das convidadas de honra é Francisca Favacho. “Nesse momento tudo depende de uma construção”, adiantou Francisca durante o café da tarde com Aline Gurgel. Na mesa também estavam a vereadora Edna Auzier, esposa do deputado estadual Eider Pena, a deputada estadual Telma Gurgel, e Luciana Gurgel, dirigente do PHS.

 

Compartilhamentos