Compartilhe

O que temos feito com o nosso tempo?

Estava pensando e refletindo sobre o que estamos fazendo com o nosso tempo

Muitas vezes abrimos mão da nossa felicidade por causa das aparências

Corremos atrás do que nos traz mais dinheiro que felicidade

Abrimos mão de boas oportunidades  que poderiam nos trazer felicidade

Muitas vezes deixamos de ter momentos felizes com nossas famílias, ou com nosso cônjuge por coisas fúteis

Trocamos o dispensável pelo indispensável

Priorizamos o trabalho em detrimento da família

Transformamos nossas vidas em um interminável correria

Aceleramos o ritmo de tudo em nossa volta

Deixando passar despercebido o natural e o belo das coisas que nos rodeiam

Queremos que tudo que está “desacelerado” em nossa volta acompanhe  o nosso ritmo frenético

O toque do celular passa a ter preferência sobre qualquer bom momento em família

Deixamos de conversar, interagir, sentir, ver, experimentar, e por fim, de viver

Para ao final chegarmos à conclusão de que sempre estamos atrasados

Trocamos a ordem natural das coisas, supervalorizando o fútil e subvalorizando o imprescindível

Deixamos de participar de uma festinha com nossos filhos por causa da “reunião inadiável”

E tudo de forma que nem percebemos a “inversão de valores”, a “crise de prioridades”, que nos trazem efeitos permanentes e irretroativos

O “estalo” acontece quando nos sobrevém os efeitos de tudo aquilo que plantamos

Quando queremos aproveitar a vida que passou e não volta mais

Quando olhamos as fotos dos nossos filhos e percebemos o quanto perdemos dos bons momentos

Mas aí já será tarde demais para fazer o que deveria ter sido feito

Para aproveitar o que deveria ter sido aproveitado

Para viver o que deveria ter sido vivido.

Compartilhe