Compartilhamentos

O município de Oiapoque (590 quilômetros de Macapá) está sem energia elétrica desde a meia-noite do último sábado, dia 28. Não há mais combustível para a usina termelétrica da CEA, e não há previsão de quando novos carregamentos poderão chegar por causa dos atoleiros na BR-156.

O trecho mais complicado da BR fica a 90 quilômetros da cidade. “Não tem ninguém ajudando aqui. É cada um por si”, relatou um comerciante que demorou 4 dias para chegar em Macapá. “Ficamos duas noites parados. Tem mulher, crianças chorando, um caos. As pessoas dormem nos carros ou na casa de moradores que oferecem abrigo e esperam que no outro dia chega um trator para rebocar”, acrescentou.

Empresas suspenderam viagens

Empresas suspenderam viagens

Entre Calçoene e Oiapoque existem pelo menos 8 atoleiros. Maior deles teria cerca de 3 quilômetros. Os caminhões que levam mantimentos e óleo diesel suspenderam as viagens.  No sábado, o combustível que restava deu apenas para o jogo do Brasil, depois a cidade voltou a ficar sem energia, situação que permanecia inalterada até o início da noite do domingo.

Não há gás de cozinha em Oiapoque, e os preços dispararam nos estabelecimentos comerciais. Quem está se dando bem com a crise são os donos de veículos com tração nas 4 rodas. Cobram R$ 400 por passageiro. “A gente vai no supermercado e não encontra mais nada. Os alimentos estão estragando nos caminhões que ficam presos na estrada”, relatou uma moradora.

Na CEA ninguém foi localizado neste domingo para falar sobre o assunto.

Compartilhamentos