Compartilhamentos

Depois de uma intensa campanha na imprensa e nas redes sociais, a socióloga Kérsia Celimary Ferreira vai finalmente ocupar a vaga para a qual se preparou e foi aprovada em concurso público. A junta médica da Secretaria de Administração do Estado (Sead) concluiu que ela é apta para o trabalho. A candidata, que já tinha sido examinada duas vezes pela junta, tem cegueira, e corria o risco de não se contratada após comentários preconceituosos de um dos médicos responsáveis por avaliá-la.

Kérsia tem 29 anos, foi convocada em agosto para o cargo de telefonista, e cumpriu todas as etapas. Até que na junta médica da Sead, um dos médicos disse que Kérsia, como telefonista do serviço de urgência, poderia colaborar para a morte de alguém.

Kérsia e a irmã aguardando resposta da junta médica: história com final feliz

Kérsia e a irmã aguardando resposta da junta médica: história com final feliz

O infeliz comentário deixou claro que a opinião do médico poderia significar a reprovação na junta. O site SelesNafes.Com foi o primeiro a contar essa história que depois ganhou manchetes e reportagens em outros veículos de comunicação, obrigado o governo do Estado até a soltar uma nota de esclarecimento sobre o assunto.  

Nesta quinta-feira, 11, Kérsia recebeu declaração da junta de que é apta para o ingresso no serviço público. “O médico que falou aquelas coisas nem apareceu lá”, disse ela ainda comemorando a notícia. “Agora disseram que vão fazer todas as adaptações necessárias para o meu trabalho”, relatou.

Kérsia ainda não sabe quando será empossada pelo governo , mas ela sabe que o pior já passou. 

Compartilhamentos