Compartilhamentos

 Moradores do Bairro Marabaixo I ficaram surpresos e ao mesmo tempo revoltados com o desfecho do sequestro da estudante de 19 anos que começou na noite de segunda-feira, 03. É que o cativeiro ficava em uma casa no bairro.

O local servia de base para bandidos que se disfarçavam de seguranças noturnos. Um dia depois do estouro do cativeiro, moradores arrancaram a destruíram a placa que ficava pendurada na frente da casa dando a impressão de tratar-se de um serviço legal.

Muitos moradores do bairro usavam o serviço, que na verdade não dava segurança nenhuma. Um homem passava de vez em quando na frente das casas apitando. “Isso não tem nada a ver com segurança. Eles fazem isso para ganhar dinheiro e observar as casas”, disse um morador na Rua 6, que não quis ser identificado com medo de represálias. Segundo esse morador, um membro da quadrilha foi na residência dele oferecer o serviço, como ele não aceitou, recebeu uma leva ameaça. “Ele disse que se a minha casa fosse roubada não era para chamar eles”, contou.

Todos os moradores do bairro que tinham o serviço de vigilância noturna contratado ouvidos por SelesNafes.Com disseram que não querem mais nem saber desse tipo de segurança.

 

Compartilhamentos