Compartilhamentos

O Aeroporto Internacional de Macapá “Alberto Alcolumbre” já teve o novo processo licitatório concluído. A empresa escolhida terá um prazo de 18 meses para concluir a estrutura, que será 5 vezes maior que o complexo atual.

A obra, orçada em R$ 163 milhões, foi interrompida em 2008 depois de uma operação da Polícia Federal após desvios constatados pelo Tribunal de Contas da União (TCU). A construção foi paralisada, mas teve alguns momentos de avanço, como a construção do teto. “Temos acompanhado de perto a situação. O que não podemos é deixar a corrupção vencer. Vamos trabalhar para garantir que o que é do povo lhe seja entregue”, disse o senador Randolfe Rodrigues (Psol-AP), que na última terça-feira (27) teve uma reunião com o superintendente da Infraero no Amapá, Osmar Ferreira.

Randolfe Rodrigues e o superintendente da Infraero no AP: recursos para conclusão

Randolfe Rodrigues e o superintendente da Infraero no AP: recursos para conclusão

Apesar de o processo licitatório ter sido concluído e o resultado publicado no Diário Oficial da União, não há recursos para realizar toda a obra. Na quinta-feira, 29, o senador será recebido pelo ministro da Aviação Civil Eliseu Padilha. “Iremos reivindicar ao ministro prioridade, tendo em vista que outros aeroportos que passaram por investigação tiveram suas obras retomadas”, ponderou Rodrigues, que ainda pretende tratar com a prefeitura de Macapá sobre a criação de uma linha de ônibus para o aeroporto.

No total, o novo aeroporto terá 26.200 m², cinco vezes maior do que o complexo atual. A novo estacionamento acomodará 780 vagas; hoje são 150 vagas disponíveis. Serão três pontes de embarque e capacidade do pátio também será aumentada. 

Compartilhamentos