Compartilhamentos

Um garoto de idade não revelada proveniente de Gurupá (PA) é o primeiro caso de febre amarela no país desde 1942, de acordo com a direção do Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen). O paciente está em quarentena há quase dois dias no Hospital da Criança e do Adolescente, em Macapá.

Segundo o Lacen, o paciente não contraiu a doença no Amapá, mas manifestou os sintomas na capital do Estado ao chegar de viagem. O caso foi diagnosticado pelo Lacen depois de uma investigação sorológica. Novos testes serão feitos com uma amostra encaminhada ao Instituto Evandro Chagas, em Belém (PA).

O caso foi comunicado imediatamente à Coordenadoria de Vigilância em Saúde (CVS), da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa).  A prioridade agora é tratar o paciente e descobrir por onde ele passou. Amigos, parentes e outras pessoas com quem ele teve contato serão vacinadas. “O Estado onde a doença foi contraída também realizará um bloqueio”, informou a coordenadora do programa estadual de imunizações, Janaína Cristina Leite.

O último caso de febre amarela urbana foi registrado há 73 anos no Acre. A doença é transmitida por um mosquito à pessoa que não foi vacinada contra a doença. Os sintomas da febre amarela são fortes, e incluem mal-estar, dores musculares, calafrios, diarreia e vômito.

febre-amarela-3-638

Apesar de a vacina ser gratuita na rede pública, o índice de imunização no Estado é baixo, o que potencializa o perigo de mais contágios já que o mosquito transmissor é o aedes aegypti, o mesmo que causa a dengue a febre chikungunya. Por ano são distribuídas quase 90 mil doses da vacina. “Atualmente temos um índice de imunização de 90%, quando o ideal seria 100%, uma vez que o Amapá está em área endêmica de risco de reintrodução da doença”.

A Sesa não informou por quanto tempo o garoto permanecerá isolado.

Compartilhamentos