Compartilhamentos

A Justiça do Amapá vai realizar no dia 29 de julho no município de Ferreira Gomes, uma audiência pública que tem o objetivo de buscar melhor encaminhamento para as centenas de ações de indenização que estão sendo ajuizadas contra a empresa Cachoeira Caldeirão.

As ações dizem respeito a enchente que ocorreu no dia 07 de maio deste ano, pela súbita elevação do Rio Araguari, que inundou boa parte do município, atingindo, segundo o cadastro inicialmente feito pela Defesa Civil, mais de 400 famílias.

Reunião que definiu a audiência pública com a presença do desembargador Carmo Antonio, vice-presidente do Tjap

Reunião que definiu a audiência pública, com a presença do desembargador Carmo Antonio, vice-presidente do Tjap. Fotos: Ascom/Tjap

Segundo portaria baixada pelo juiz Luiz Carlos Kopes Brandão, da Comarca de Ferreira Gomes, o cadastro das vítimas acha-se ainda incompleto, apesar de todo o esforço da comissão que o elaborou, composta por integrantes de órgãos do Estado, município, representantes de comunidade de Ferreira Gomes e da empresa Cachoeira Caldeirão.

O cadastro incompleto está gerando um elevado número de ações de indenizações. 460 haviam sido ajuizadas até junho, e mais de uma centena de outras petições iniciais havia sido protocolada desde então e aguardava distribuição.

A audiência pública foi uma iniciativa do juiz Luiz Kopes Brandão, da Comarca de Ferreira Gomes

A audiência pública foi uma iniciativa do juiz Luiz Carlos Kopes Brandão, da Comarca de Ferreira Gomes

De acordo com a portaria, a estimativa é que essas ações elevem em mais de 50% o movimento processual na Vara Única da comarca de Ferreira Gomes, com previsíveis congestionamento e prejuízo às atividades judiciais na região.

Esses e outros motivos determinaram a suspensão do curso de todas as ações já ajuizadas e das que venham a ser ajuizadas, até que a audiência pública seja realizada, e consequentemente encontrar os encaminhamentos que devem ser dados à situação.

 

Compartilhamentos