Compartilhamentos

O delegado Celso Pacheco já ouviu todas as vítimas do roubo seguido de estupro registrado na madrugada da última terça-feira, 8, no Bairro do Novo Buritizal, Zona Sul de Macapá. Uma mulher foi espancada e estuprada por bandidos que procuravam por dinheiro que ela recebeu como indenização da empresa onde trabalhava. A vítima ainda teve os cabelos cortados pelos criminosos. Até agora ninguém foi preso, mas polícia diz que já tem informações sobre os assaltantes.

Segundo as investigações da Delegacia de Crimes Contra a Pessoa (DECCP), quatro homens encapuzados, dois com armas de fogo e dois com facas, bateram na porta da casa. Ao abrir, os cinco moradores foram rendidos. No local ainda havia uma criança de apenas dois anos. Ao que tudo indica, os bandidos conheciam uma das vítimas e tinham informações privilegiadas.

Delegado Celso Pacheco: já temos informações sobre os criminosos. Fotos: Cassia Lima

Delegado Celso Pacheco: já temos informações sobre os criminosos. Fotos: Cassia Lima

“O que chama atenção neste caso foi a violência usada pelos bandidos, que foi fora do normal. Não foi só o patrimônio que eles agrediram, mas também foi tirada a dignidade dessa mulher. Já temos um indicativo dos criminosos, mas vamos agir em segredo para não atrapalhar as investigações”, destacou o delegado Celso Pacheco, titular da DECCP.

O delegado já ouviu todas as pessoas que estavam na casa. Segundo ele, a principal vítima ainda está em choque, e por isso ainda não existe confirmação de que todos os criminosos abusaram da mulher.

“Esse crime é revoltante para nós mesmos da polícia que estamos diariamente trabalhando com diversos tipos de crime. O corte do cabelo da vítima parece um símbolo para marcar mesmo a mulher, isso não só no sentido da agressão, mas da própria dignidade. Eu prefiro não comentar o depoimento dela. É muito forte”, comentou o delegado.

A rua onde as vítimas moravam é mal iluminada e os vizinhos convivem com o medo

A rua onde as vítimas moravam é mal iluminada e os vizinhos convivem com o medo

A casa onde ocorreu o crime está fechada e os vizinhos preferem não falar sobre o assunto. Uma senhora informou ao SelesNafes.Com que o clima é de medo, visto que a rua não possui iluminação à noite. “Depois desse assalto ninguém fica na rua após as 11h”, disse a mulher que não quis ser identificada.

Não existem câmeras de monitoramento nas proximidades da casa, o que dificulta um pouco o trabalho da polícia. A única informação é que os assaltantes fugiram em um carro prata levando uma TV de 42 polegadas, além de R$ 1 mil (a indenização da vítima), joias e celulares.

 

Compartilhamentos