Compartilhamentos

A ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Kátia Abreu, esteve por dois dias no Amapá para uma visita técnica ao Porto de Santana e proferir palestra na Expofeira. Na oportunidade, juntamente com o governador Waldez Góes, a ministra definiu algumas metas para o desenvolvimento do setor produtivo do Estado, entre eles a regularização fundiária, infraestrutura portuária e combate à febre aftosa.

Durante explanação na Expofeira, Kátia Abreu apresentou um estudo do Mapa que fez um panorama das principais cadeias produtivas que impulsionam o setor no Estado, com destaque para mandioca, açaí, madeira e criação bubalina – segmentos que são responsáveis por 78% de toda a produção amapaense, que atualmente atende apenas parte do consumo local.

Autoridades e produtores rurais ouvem explanação da ministra. Fotos: Marcelo Loureiro

Autoridades e produtores rurais ouvem explanação da ministra. Fotos: Marcelo Loureiro

O diagnóstico também focou no potencial do cultivo de soja na área do cerrado. Os grãos também puxaram a discussão sobre os investimentos em infraestrutura portuária e viária para o escoamento de produção. O governador Waldez ressaltou que, internamente, o executivo está investindo na pavimentação de vias estratégicas para o escoamento da produção. Ele citou o asfaltamento nas estradas de acesso aos municípios de Itaubal e Mazagão – regiões importantes da agricultura familiar e pecuária.

Durante sua participação na Expofeira a ministra mostrou todo o caminho, por rodovias e hidrovias, que a produção brasileira percorre até chegar aos dois principais portos de exportação, localizados em São Paulo e no Maranhão. Neste contexto, o porto de Santana, visitado por ela, torna-se estratégico para o país em função da sua posição geográfica.

Katia Abreu também destacou que, paralelamente à estrutura portuária, o Amapá precisa resolver dois problemas que atacam a produção de proteínas vegetal e animal. Na fruticultura, a mosca da carambola é a preocupação, principalmente porque o Estado fica situado em uma zona de fronteira, com uma região em que não há política de combate à praga. A equipe do Mapa anunciou R$ 6 milhões em recursos federais para ser empregado em ações de erradicação da mosca da carambola.

Governador Waldez Góes comemora o anúncio de investimentos no setor produtivo

Governador Waldez Góes comemora o anúncio de investimentos no setor produtivo

Já na pecuária, o Estado vai receber R$ 2 milhões para a intensificação no combate a febre aftosa. A meta é que em 2016, o Amapá mude seu status sanitário para “livre com vacinação”, o que incluiria de vez o Estado no forte mercado de proteína animal.

Ela anunciou, ainda, a implantação de um programa que vai selecionar 500 produtores, com renda entre dois e dez salários mínimos, para receberem qualificação e assistência técnica rural. Outro investimento será a implementação de um parque tecnológico para o cultivo de peixe e camarão.

“A vinda da ministra e os anúncios de investimentos, em um momento de crise, são reflexo do tratamento que o governo tem dado ao setor primário com foco no desenvolvimento econômico do Estado”, comentou o governador Waldez Góes.

Compartilhamentos