Compartilhamentos

ANDRÉ SILVA –

O deputado Pedro da Lua (PSC), um dos líderes do grupo que agora comanda a Assembleia Legislativa do Amapá após o afastamento do presidente Moisés Souza (PSC), disse nesta quarta-feira, 2, que, a pedido da Alap, o governo do Estado antecipou muito mais do que se imaginava inicialmente, que eram R$ 18 milhões do orçamento de 2015. Na verdade, pelas contas dos parlamentares que agora estão tendo acesso às informações contábeis da Casa, os repasses teriam totalizado quase R$ 40 milhões.

Os parlamentares deixaram claro que não houve repasse de dinheiro a mais. O orçamento da Alap para 2015 continuará em R$ 153 milhões. Só que já teriam sido repassados R$ 147 milhões, o que deixa um saldo de pouco mais de R$ 6 milhões para o restante do ano.

A novidade é que as antecipações de duodécimo teriam continuado até outubro, e não até agosto como imaginavam os parlamentares.

“Antes do dia 20 de outubro foram feitos vários repasses que totalizaram R$ 12,4 milhões em outubro. Nós imaginávamos primeiro que tinham sido antecipados R$ 18 milhões, depois descobrirmos que foram R$ 26 milhões e a Assembleia assumiu isso na Justiça quando foi se defender, e agora com esses repasses de outubro a antecipação chega a quase R$ 40 milhões”, calcula da Lua.

Os deputados e funcionários de cargos em comissão estão há dois meses sem receber os salários e verba indenizatória. O recolhimento de impostos e os repasses de empréstimos consignados também estão atrasados.

“O dinheiro foi não foi bem administrado. Não existe respeito. Os 15 deputados que precisavam dar uma resposta ao servidor e não conseguiam isso da direção da Assembleia, por isso foi necessário o afastamento do presidente”, finalizou da Lua.

Compartilhamentos