Compartilhamentos

DA REDAÇÃO

A Defesa Civil do Amapá e o Instituto de Hidrometeorologia do Iepa emitiram um alerta de alto risco para inundação nas cidades de Macapá e Santana nos próximos 10 dias. O motivo é a cheia do Rio Amazonas provocada pelo fenômeno do Equinócio e o alto índice pluviométrico.

Segundo a previsão dos meteorologistas, deve chover nesse período algo entre 180 e 200 milímetros. Isso somado ao aumento da força gravitacional da Lua nova durante o fenômeno do Equinócio (alinhamento entre o Sol, a Terra e a Lua), deve provocar alta no nível do Rio Amazonas e dos canais que cortam os dois municípios.

“Quando coincide com a Lua nova é pior, porque é a fase mais influente. E se estiver chovendo muito o risco é ainda maior”, explica o meteorologista Jeferson Vilhena, da equipe do Iepa.  

O nível máximo do Rio Amazonas nesta época do ano é 3.3 metros.

Aturiá é um dos locais onde pode haver problemas. Foto. Cássia Lima

Aturiá é um dos locais onde pode haver problemas. Foto. Cássia Lima

“Acima disso as partes mais baixas da cidade começam a alagar. E há o risco de o nível do rio poder chegar a 3.6 metros”, adverte ele.

Segundo o alerta da Defesa Civil, pode haver inundação nos canais da Avenida Mendonça Júnior, Igarapé das Pedrinhas, Beirol e Jandiá, além da orla do Aturiá.

O Bailique vem sofrendo com o fenômeno das "terras caídas". Foto: Arquivo

O Bailique vem sofrendo com o fenômeno das “terras caídas”. Foto: Arquivo

Os bairros que podem sofrer com os alagamentos estão distribuídos nas seguintes regiões:

Zona Norte: bairros São Lázaro, Jardim Felicidade, Novo Horizonte, Pacoval, Cidade Nova
Zona Central: Santa Rita, Jesus de Nazaré, Laguinho, Bairro Central e Beirol
Zona Sul: Muca, Buritizal, Novo Buritizal, Pedrinhas, Araxá, Aturiá Nova Esperança.

Em Santana, os bairros que correm riscos são o Paraíso,  Hospitalidade, Remédios I,  Remédios II e Provedor II.

Canal do Beirol em 2015. Risco de tudo se repetir

Canal do Beirol em 2015: Risco de tudo se repetir. Foto: Seles Nafes

O alerta vale ainda para a área costeira do Amapá, incluindo o município do Itaubal do Piririm e o Arquipélago do Bailique, distrito de Macapá que vem sofrendo com o fenômeno das “terras caídas”.

O fenômeno é uma erosão provocada pela alta da maré. No ano passado, houve sérios danos nas comunidades que formam o Bailique.

Compartilhamentos