Compartilhamentos

DA REDAÇÃO

A Vara da Infância e Juventude da Comarca de Santana lançou seu próprio WhatsApp para denunciar crimes contra crianças e adolescentes, durante a manhã desta quinta-feira, 1. O número 98414-0523 receberá fotos, vídeos, áudios e textos com denúncias de delitos onde o alvo seja menor de idade. Até o início de agosto deste ano, o Comissariado da Infância de Santana já recebeu 67 denúncias, 15 delas através do Disque Denúncia, 41 pelo portal do  Tribunal de Justiça do Amapá (TJAP).

O WhatsApp da Vara da infância de Santana será uma ferramenta de denúncias de crimes contra crianças e adolescentes. Fotos: divulgação

O WhatsApp da Vara da infância de Santana será uma ferramenta de denúncias de crimes contra crianças e adolescentes. Fotos: divulgação

Todos os tipos de denúncias envolvendo crianças e adolescentes tanto como vítima ou como infrator podem ser enviadas.

Atualmente, a Vara já conta com o Disque Denúncia (0800-285-1581) e o Portal do Tribunal de Justiça do Amapá (http://www.tjap.jus.br/portal/). As denúncias podem ser enviadas a qualquer horário, pois ficarão salvas no aplicativo para averiguação.

O Comissariado da Infância e Juventude de Santana, órgão responsável pela proteção de crianças e adolescentes da Justiça do Amapá, terá a competência de receber as denúncias e verificar a veracidade dos acontecimentos para que outras medidas de proteção desses jovens sejam tomadas.

Ações do Juizado

No ano de 2015 o Comissariado da Infância de Santana recebeu através do Disque Denúncia (0800-285-1581) 36 queixas de violências contra menores; no Portal do TJAP foram 20, além das demandas espontâneas na sala do Comissariado que contabilizaram 10.

o TJAP já conta com o Disque Denúncia e o Portal como instrumentos para apurar casos de violência.

o TJAP já conta com o Disque Denúncia e o Portal como instrumentos para apurar casos de violência.

As denúncias mais frequentes referem-se a crimes sexuais, maus-tratos, abandono, risco e vulnerabilidade social, conduta inadequada, exploração sexual, fuga domiciliar e promoção de festas (inclusive em residências) com adolescentes onde há uso de bebida alcoólica e drogas.

O Juizado também tem realizado blitzs educativas de combate à exploração sexual, campanhas contra as drogas e fiscalizações em embarcações e no terminal rodoviário de Santana, com cartazes sobre as regras legais de viagens de crianças e adolescentes.

Compartilhamentos