Compartilhe

GRAZIELA MIRANDA

A adolescente de 14 anos, que foi estuprada em novembro do ano passado em Santana, está em depressão. A informação foi dada nesta terça-feira, 10, pelo advogado da família, Cayo Mira, que se manifestou pela primeira vez sobre o assunto publicamente. Segundo ele, ela está muito abalada. O estupro, segundo a vítima, teria sido praticado pelo guarda portuário Samuel George Miranda, de 35 anos.

“Ela não consegue sequer ficar na frente de casa. Ela fica o tempo todo dentro de casa com a família e chora muito. Ela está extremamente abalada”, declarou.

Por conta disso, de acordo com Mira, a menor faz atualmente um tratamento psicológico, realizado pela equipe multidisciplinar do Ministério Público do Estado do Amapá (MP-AP).

O advogado revelou também que após a repercussão do assunto, apareceram mais cinco supostas vítimas acusando como autor o guarda portuário.  

“No momento, os casos estão sendo investigados, sendo três em Macapá e dois em Santana. Elas já prestaram depoimento direto no Ministério Público. Todas são menores de idade, inclusive, uma delas tem nove anos, e a outra, 13. No caso da menina de 13 anos, há um mandado de prisão expedido pela justiça a pedido do Ministério Público”.

adolescente-santana

Crime ocorreu em novembro do ano passado. A imagem, registrada por uma câmera de segurança, mostra a adolescente descendo do carro do agressor. Foto: reprodução

Versão da vítima

Segundo o advogado Cayo Mira, a vítima foi abordada pelo suposto criminoso, o guarda portuário Samuel George Miranda, de 35 anos, que teria mostrado uma faca forçando-a a entrar no carro a fim fazer sexo oral e sexo anal.

Mira acrescenta que na época foi encontrada dentro do carro do guarda uma toalha com sêmen, que foi recolhida pela polícia e está sendo analisada.

“O resultado de conjunção carnal, que foi feito na época na vítima, deu positivo, indicando que houve estupro. Embora o guarda tenha alegado que ele teve um relacionamento com a adolescente, ela assegura que nunca teve relacionamento com o acusado e que nem sequer conhecia ele”, afirmou.  

Andamento do Processo

Cayo Mira conta que, no momento, as investigações já terminaram, e que o processo foi enviado para o MP-AP, que fez a denúncia, a qual já foi acatada pelo juiz da 1ª Vara Criminal de Santana, Normandes Souza.

“O acusado já foi citado no processo. Acredito que a defesa já tenha sido feita. Daqui pra frente, vai ter a instrução processual, onde serão ouvidas as testemunhas e juntados os documentos para depois o juiz dar a sentença. A defesa do acusado fez um pedido de liberdade provisória sobre o caso da vítima e está sendo analisado”, informou.

Até o momento, o acusado encontra-se preso no Centro de Custódia, localizado no Bairro Zerão. O advogado da vítima conta que foi feito um pedido para que Samuel George retorne ao Iapen.

Foto destaque: Graziela Miranda

Compartilhe