Compartilhamentos

SELES NAFES

O PMB indicou a administradora de empresas Gracilene Barros, de 26 anos, como candidata na campanha pela prefeitura de Calçoene, município a 360 quilômetros de Macapá. A mãe e o pai dela tiveram candidaturas barradas pela Justiça Eleitoral.

A mãe, Graciete Cordeiro (PDT), teve a candidatura impugnada na semana passada porque o marido Reinaldo Barros, que é presidente do partido, está com os direitos políticos suspensos, e mesmo assim, assinou a ata da convenção pedetista.

Na eleição de outubro, Reinaldo ficou em primeiro lugar, mas não teve os votos computados em função da Lei da Ficha Limpa. Reinaldo tem uma condenação por improbidade administrativa.

A candidatura da filha aproveita a força política que Reinaldo Barros tem na região, mas também produz um desgaste, já que a indicação pode ser interpretada como mais uma tentativa de estabelecer um projeto familiar de poder. 

A eleição, marcada para o dia 12 de março, promete ser acirrada. Além de Gracilene, que precisará correr contra o tempo e fazer uma campanha relâmpago, disputam a prefeitura: Lindoval Santos do Rosário (PSC), José Walter Cavalcante (PV) e Jones Fábio Nunes Cavalcante  (PPS), atual prefeito em exercício, já que é o presidente da Câmara de Vereadores.

Compartilhamentos