Compartilhe

SELES NAFES

A motorista que causou um acidente ao fugir de uma abordagem policial na madrugada do último sábado, 25, não pagou fiança como foi informado anteriormente. O delegado que lavrou o flagrante, Glemerson Arandes, explicou neste caso específico não seria possível arbitrar fiança.

O delegado, que estava de plantão no Ciosp na madrugada do acidente, informou que a farmacêutica Josiane Dartora, de 38 anos, foi presa em flagrante por embriaguez e lesão corporal, crimes cujas penas chegam a 5 anos de prisão.

“Como a somatória passou dos 4 anos, eu não poderia arbitrar fiança”, justificou. O delegado também informou que não poderia enquadrar a acusada no crime de tentativa de homicídio.

“Se a vítima tivesse morrido seria homicídio com dolo eventual, mas a vítima está estável. E o dolo eventual não admite a tentativa, que é quando existe a intenção de matar. No dolo eventual, a pessoa assume o risco, então são incompatíveis”, acrescentou.

Por volta das 4h, a farmacêutica decidiu não atender a uma ordem de parada de uma equipe do Batalhão de Trânsito da PM (BPTran) que havia percebido que o carro dela estava com os faróis apagados.

Jeep tinha sido comprado no dia anterior

Jeep tinha sido comprado no dia anterior

De acordo com a PM, o Jeep Renegade fugiu pela Avenida Padre Júlio Maria Lombaerd e seguiu pela Rodovia Duca Serra. O carro só parou ao colidir com uma picape Saveiro que saia do Conjunto Cabralzinho. O motorista da Saveiro ficou muito ferido, e continua internado no Hospital de Emergência de Macapá.

Josiane Dartora continua presa, e tem audiência de custódia marcada para este domingo, 26, às 15h. Nesses casos, o juiz deve costuma avaliar que o acusado tem residência fixa, emprego e não possui outros motivos para decretação da prisão preventiva.

Compartilhe