Compartilhamentos

SELES NAFES

O ex-prefeito de Santana, Robson Rocha (PR), negou nesta terça-feira, 11, que tenha confeccionado um contrato falso de locação de veículo para receber ilegalmente dinheiro da verba indenizatória no tempo em que era vereador. A acusação é do Ministério Público do Estado.

“Aluguei o carro de uma pessoa que estava com o nome sujo e que pediu para alguém emprestar seu nome para comprar o veículo, isso é muito comum. Era um rapaz que trabalhava comigo e alugar o carro dele para prestar serviço para mim na Câmara foi a forma que eu encontrei para ajudá-lo”, diz Robson Rocha.

A mesma denúncia do MP virou uma ação penal e uma ação na esfera cível. Na ação penal, protocolada no dia 23 de março, o MP acusa Robson Rocha de usar o aluguel apenas para ficar com o dinheiro. Ele foi denunciado por peculato.

Em depoimento, o proprietário do veículo disse que emprestou seu nome ao genro para que este adquirisse o veículo que depois foi alugado para o gabinete de Robson Rocha na Câmara de Vereadores, entre 2009 e 2010. Durante dois anos, o gasto da verba indenizatória com o aluguel teria sido superior a R$ 100 mil.

“O sogro dele retirou o veículo, deu uma procuração para ele e ele me alugou, ou seja, tinha a posse do veículo. Os contratos estão no nome do proprietário (sogro), mas estão assinados por procuração pelo Roger Miranda. Onde existe a falsificação aí?”, questionou o político.

Durante a gestão de Robson Rocha como prefeito, Roger Miranda foi secretário de Finanças da prefeitura.

Robson Rocha diz que a ação penal tenta requentar o assunto e que existe uma “forçação de interpretação do MP”. “Dizem na denúncia que eu premiei o Roger Miranda promovendo ele de motorista a secretário de Finanças. Chega a ser esdrúxulo”, concluiu.

Compartilhamentos