Compartilhamentos

DA REDAÇÃO

A primeira indústria de pescado do Amapá foi inaugurada há 15 anos atrás. O saldo, ao longo desse período, é que mensalmente são comercializadas 40 toneladas de pescado por mês, fazendo exportações interestaduais para São Paulo, Belo Horizonte, João Pessoa e Belém, de acordo com o Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae).

“Nós acreditamos que a indústria pesqueira no estado do Amapá é tão forte que alcança outras regiões brasileiras. Ela possui uma envergadura no âmbito nacional. A prova disso foi o último relatório estatístico do programa Peixe Popular realizado em apenas 4 dias (Semana Santa). Geramos uma renda em torno de R$ 1 milhão para a economia do Estado e 129 empregos, além de inserir várias espécies de pescado no mercado que já foram ou são exportados para outros estados do Brasil”, disse o presidente da Agência de Pesca do Amapá (Pescap), Clésio de Lima Cardoso.

Em 4 dias, programa Peixe Popular gerou renda e empregos. Fotos: Pecasp

Clésio de Lima Cardoso (esquerda): indústria pesqueira do AP abastece mercado interno e outras regiões do país

Dentre as espécies fomentadas pela Pescap no mercado amapaense e interestadual, vale destacar as seguintes: pirapitinga, pescada amarela, tucunarés, camurim e aracu.

Apenas na última ação da Agência de Pesca do Amapá, mais de 100 toneladas de pescado resfriado e congelado foi comercializada em quatro dias. O sucesso de vendas bateu recorde e influenciou diretamente no Produto Interno Bruto do Estado.

Uma das empresas responsáveis por empreender na indústria da pesca amapaense desde meados de 2002, a “Cunhaú”, instalada no município de Calçoene,  participou de eventos importantes relacionados com a comercialização do pescado no Brasil. Em diversas feiras os empreendedores do Amapá ganharam o país.

A empresa “Cunhaú” já produziu mais de 7,2 mil toneladas de pescado para consumo no Amapá e outros estados brasileiros nos seus 15 anos de atividade.

Empresa de Calçoene produziu em 15 anos milhares de toneladas de pescado

Peixe Popular levou mais de 100 toneladas de peixe fresco para as feiras

O Deputado Federal Marcos Reátegui (PSD) diz que o desenvolvimento acelerado do setor pesqueiro é uma ferramenta para gerar empregos e trazer progresso à economia.

“O potencial desse setor é muito forte no Amapá, tem feito diferença significativa no PIB e se trata de um campo econômico em pleno crescimento, é um viés que deve ser explorado sob os olhos do futuro e progresso econômico nacional”, disse.

Compartilhamentos