Compartilhamentos

OLHO DE BOTO

Um policial civil aposentado foi assassinado durante um assalto na madrugada deste sábado (20), no Bairro Buritizal, zona sul de Macapá.

O crime ocorreu por volta das 2h. Segundo testemunhas, João Almeida Lopes, de 57 anos, conhecido por moradores como “Juca Lopes”, caminhava nas proximidades do antigo Aninga, na Rua Claudomiro de Morais, em direção a sua residência.

Durante a caminhada, ele foi abordado por dois indivíduos. Um deles desferiu um golpe de faca que atingiu a região do coração. Os bandidos teriam então subtraído a carteira da vítima e fugido do local.

“A vítima vinha caminhando em via pública com dificuldade porque ele era uma pessoa doente, vinha da casa de parentes, e quando chegou no perímetro ele se deparou com a dupla que cometeu o crime”, informou o soldado Batista Filho, do 1º Batalhão da Polícia Militar (1º BPM).

João Almeida Lopes voltava para casa quando foi surpreendido. Foto: arquivo familiar

João Almeida Lopes se recuperava de um derrame e tinha dificuldades de locomoção. Ele foi encontrado ainda com vida no local por uma equipe do 1º BPM, mas morreu minutos depois, antes da chegada da viatura do Samu. Segundo testemunhas, ele não demonstrou reação ao assalto.

“Ele tinha sofrido um derrame, então tinha dificuldade de locomoção. Eles podem ter entendido isso como uma tentativa de reação dele ou talvez pensando que ele não queria entregar seus pertences, mas na verdade ele tinha sequelas de um derrame”, complementou o policial.

Suspeitos

Segundo a polícia, uma testemunha chave revelou que dois indivíduos, de apelidos “Seu” e “Nil”, são os principais suspeitos do assassinato. Equipes do 1º BPM e o Batalhão de Rádio Patrulhamento (BRPM) passaram a noite em busca da dupla que até o momento não foi capturada.


De acordo com o soldado Batista Filho, os bandidos são velhos conhecidos da polícia e têm passagens por vários crimes, sempre atuando no Bairro dos Congós. O policial disse também que com a ajuda das imagens das câmeras de segurança que existem no local, será possível rapidamente confirmar a identidade dos suspeitos.

“Sabemos onde esses indivíduos costumam se esconder, as buscas continuarão a ser feitas e esperamos capturá-los ainda hoje”, concluiu.

Compartilhamentos