Compartilhamentos

DA REDAÇÃO

A Polícia Civil de Macapá vai investigar o caso de uma jovem de 19 anos barbaramente espancada e estuprada durante um suposto assalto que começou no conjunto residencial Mucajá, no Bairro do Beirol, zona sul. A vítima disse que precisou fingir que estava morta para que as agressões cessassem.

Segundo a família da vítima, a jovem estava chegando no conjunto no início da manhã quando foi interceptada por duas mulheres e dois homens em um carro.

A jovem contou em depoimento na Delegacia de Crimes Contra a Mulher (DCCM) que foi obrigada a entregar R$ 150 aos criminosos. Ela foi colocada dentro do carro e começou a ser agredida.

Bandidos tentaram matar a jovem usando cadarço de sapato para enforcá-la

A vítima teria sido levada para a área do centro comunitário Asa Aberta, na Avenida Ceará, no Bairro do Pacoval, onde foi estuprada pelos dois homens. O lugar está abandonado. Em seguida, um deles tentou enforcar a jovem usando um cadarço de sapato.

“Torturam ela, bateram muito. Tem ferimentos por todo o corpo. Ela se fez de morta. (…) Ela estava com dinheiro e tomaram dela. Foi um assalto, e como ela estava sozinha violentaram ela e ainda cortaram o cabelo”, comentou revoltado o irmão da vítima.

Depois de ser abandonada, a jovem conseguiu chegar em casa e foi levada para o Hospital de Emergência pela família. Em seguida, ela foi encaminhada à delegacia e à Polícia Técnica para o exame de corpo de delito.

Vítima teve os cabelos cortados e fingiu que estava morta

Parentes procuraram o Bope, que desconfia de criminosos da Ponte do Axé, no Bairro Jesus de Nazaré. A família pede que as pessoas liguem para o 190 se tiverem informações sobre os bandidos. 

Compartilhamentos