Compartilhamentos

SELES NAFES

A ex-deputada federal pelo Amapá, e atual secretária nacional de Políticas para Mulheres, Fátima Pelaes (PMDB-AP), receberá uma recomendação nada positiva da Comissão de Ética Pública da Presidência da República. Na segunda-feira (21), a comissão aprovou uma recomendação para que a secretária não use mais seu gabinete, em horário de expediente, para realizar cultos evangélicos.

O presidente da comissão, Mauro Menezes, informou que o colegiado recebeu denúncia de servidores do gabinete que acusavam a secretária de constrangimento. Fátima Peales estaria pressionando os servidores a participar dos cultos.

A denúncia dizia que os funcionários que aderiam aos atos religiosos recebiam benefícios, situação contrária de quem não participava.

“A comissão não a sancionou, mas a recomendou de maneira clara que não deveria haver qualquer espécie de constrangimento a servidores ou ocupantes de cargos para que eles participassem de cultos religiosos”, explicou o presidente da Comissão de Ética, ao jornal Folha de S.Paulo.

Fátima Pelaes também não teria respondido a nenhum dos questionamentos feitos pela Comissão de Ética. Na recomendação, a comissão permitiu que ela use o auditório da secretaria para os cultos, desde que sejam realizados fora do horário de expediente. O portal SELESNAFES não conseguiu contato com a secretária Fátima Pelaes.

Compartilhamentos