Compartilhamentos

SELES NAFES

O Ministério Público do Amapá vai pedir à Vara de Execuções Penais de Macapá o cancelamento do benefício de prisão domiciliar do deputado estadual Moisés Souza (PSC), que teria se envolvido em um acidente de trânsito na noite da última terça-feira (29).

A promotora que investiga o caso no Núcleo de Inteligência do MP (Nimp), Andréa Guedes, diz que existem provas suficientes de que o deputado estaria dirigindo o Golf que perdeu o controle em uma curva da Rodovia JK. O veículo subiu no canteiro central e virou depois de destruir o paisagismo e ainda bater numa árvore.

Testemunhas do acidente afirmaram para a Polícia Militar que viram o deputado sair do carro e colocá-lo na posição normal. Ele ainda teria tentado sair com o veículo, mas não conseguiu. Em seguida, ele teria deixado o local em uma Strada vermelha.

Rastro de destruição causado pelo carro de propriedade do deputado. Foto: Olho de Boto

Na quarta-feira (30), policiais do Núcleo de Inteligência do MP localizaram a Strada e apreenderam um smartphone em seu interior. O Golf também foi apreendido.

“Nós solicitamos a perícia e coleta de digitais nos dois veículos, e assim como também no celular encontrado na Strada”, revelou a promotora, nesta quinta-feira (31).

“Todas as testemunhas confirmam de forma uníssona que era ele (Moisés como motorista). Uma coisa é uma pessoa mentir, e outra é três contarem exatamente a mesma versão, com mesmo horário, mesmo fato. Não tem como mentir”, avaliou.

O deputado Moisés Souza foi condenado a 13 anos de prisão por fraude em contrato na Assembleia Legislativa. Ele também será intimado para prestar depoimento no MP.

A família dele afirma que a esposa, Regilene Gurgel, é quem estava dirigindo o carro. Parentes apresentaram ao Batalhão de Policiamento Rodoviário Estadual (BPRE) a CNH dela. A defesa do deputado também negou que ele estivesse no carro. 

No próximo dia 5, o MP deve encaminhar o procedimento para a Vara de Execuções Penais que já marcou audiência para o próximo dia 20, quando o destino do deputado será definido. 

Compartilhamentos