Compartilhamentos

ANDRÉ SILVA

Sempre sorridente, o vendedor de bombons de chocolate Jeremias da Silva de Araújo, de 29 anos, disse que veio para Macapá fazer uma prova para o concurso público do Tribunal de Justiça do Estado (Tjap). Ele não passou, e como se viu sem trabalho, com mulher e filha, decidiu encarar as ruas e vender o produto.
 
“Eu tinha certeza que iria passar. Quando saiu o resultado vi que não fiquei nem classificado. Aí me vi no aperreio. Com mulher, filho, cama e botijão de gás, sozinho. Pedi ajuda de amigos para conseguir um emprego mas não consegui nada”, lembrou.

Jeremias da Silva de Araújo e seus instrumentos de trabalho. Fotos: André Silva

 
Ele conta que começou a fabricar os bombons e a vender no dia 27 de janeiro de 2015. Desde que chegou na cidade, observou que muitas pessoas vendiam bombons nas ruas e depois de uma conversa com a avó resolveu investir no negócio.
 
“A minha avó vende no Laranjal do Jari. Eu liguei pra ela e disse que não  tinha conseguido  emprego. Ela disse: meu filho, pega uma barra de chocolate, derrete em banho maria… e foi me ensinando. Perguntei pra minha mulher se ela se garantia fazer, ela disse que sim e até hoje estou nesse banho maria (risos)”.

Vendedor conquistou sua própria clientela

 O vendedor de trufas faz um percurso de em média 20 quilômetros por dia. No início, ele era feito caminhando, mas recentemente decidiu que era hora de investir em um veículo e comprou um triciclo.
 
Hoje ele sustenta a família com o que vende e vive muito bem. Não chega a revelar a quantia que vende por dia. O sucesso das vendas ele dedica a Deus. Veja o vídeo.
 
Compartilhamentos